Você sabia que a princesa Margaret influenciou o horóscopo atual?

Já parou para pensar de onde veio a tradição da coluna de horóscopo de jornais e revistas? Ainda que os conhecimentos sobre o Zodíaco venham da Antiguidade, o costume de se fazer previsão de signos é bem mais recente.

De acordo com o site Mental Floss, tudo começou por conta da princesa Margaret, irmã mais nova da Rainha Elizabeth II.

Apesar de ter protagonizado várias fofocas que estampavam tabloides na época, a influência de Margaret no horóscopo atual não se deu por conta disso, mas da ocasião do seu nascimento. 

A previsão astrológica da princesa

Margaret é irmã mais nova de Elizabeth II. (Fonte: Wikimedia Commons)
Fonte: Wikimedia Commons

Quando Margaret nasceu em agosto de 1930, não havia muito o que se falar da nova princesa. 

À época, vale lembrar que ninguém sabia que Elizabeth II se tornaria, de fato, a rainha da Inglaterra, já que o tio delas, Edward VIII, ainda tinha o direito ao trono. 

Para John Gordon, o editor do Sunday Express, a solução foi falar justamente do futuro da princesa, mas em termos astrológicos. 

Foi então que o astrólogo R.H. Naylor fez história na astrologia moderna ao escrever o artigo “O que as estrelas predizem para a nova princesa”. O sucesso foi tão grande que os leitores pediram por mais. 

O novo estilo de horóscopo 

Fonte: Wikimedia Commons
Fonte: Wikimedia Commons

Além das previsões astrológicas para os aniversários da semana, Naylor e o editor do jornal decidiram fazer mais. 

Para fazer as pessoas se interessarem em ler o jornal todas as semanas (e não apenas nos seus aniversários), Naylor criou a tradição de fazer 12 previsões para cada signo do Zodíaco semanalmente. 

Parece familiar? É assim que os horóscopos funcionam até hoje. A inovação também foi importante para fomentar o lucrativo mercado de “serviços místicos” no mundo todo. 

As previsões de Naylor

Fonte: Wikimedia Commons
Fonte: Wikimedia Commons

Muito do que Naylor previu não se realizou, como acontece muitas vezes na astrologia. No entanto, ele previu que “eventos de tremenda importância para a Família Real e a nação” aconteceriam perto do sétimo aniversário de Margaret. 

No ano de 1936, o Rei Edward III, tio de Margaret, abdicou do trono para se casar com Wallis Simpson, uma norte-americana divorciada. Com isso, o pai de Margaret e Elizabeth, George VI, subiu ao trono. Anos depois, com a morte do pai, Elizabeth II se tornou rainha e o resto é História. 

More in Fatos&Fatos.com