Tyr, o deus da guerra, considerado o mais corajoso da mitologia nórdica

A mitologia nórdica ou germânica é originária dos países escandinavos ou nórdicos, onde estão localizados atualmente os países Noruega, Suécia, Finlândia, Islândia e Dinamarca. E, assim como a mitologia grega, romana, egípcia, africana, entre outras, a mitologia nórdica é muito importante para a cultura desses povos. Pois é muito rica, constituída por deuses, heróis, anões, gigantes, grandes serpentes e lobos, feiticeiros, etc. Entre tantos deuses, há o poderoso deus da guerra, chamado Tyr.

Em suma, a mitologia nórdica procura explicar a origem da humanidade, a vida após a morte, os fenômenos da natureza, entre outros. Dessa forma, suas histórias e deuses, que retratam a Era Viking, inspiram filmes, quadrinhos, vídeos e jogos até os dias de hoje. Enfim, um dos personagens bastante presente nas histórias da mitologia nórdica é o deus Tyr, considerado como o mais valente dos deuses nórdicos.

Tyr é o deus da guerra, do direito e da justiça, que tem como características marcantes sua coragem e valentia. Além de não ter a mão direita e sempre trazer uma lança ou um cetro na mão esquerda. Um dos filhos de Odin, o deus Tyr realizou grandes feitos. Mas, segundo a profecia, Tyr morre ao matar Garm (gigante cachorro que protege os portões de Hel), durante o Ragnarok.

O deus da guerra nórdica: Tyr

Portal dos Mitos

De acordo com a mitologia nórdica, Tyr é filho do gigante Hymir, deus do Aesir e um dos deuses que residiam em Asgard. Em suma, é considerado como o deus do combate, da guerra, da coragem, do céu, da luz, dos juramentos. Além de ser o patrono da lei e da justiça.

Também é considerado como filho de Odin, o pai de todos os deuses. Isso graças a sua coragem, principalmente por ter aberto o caminho no tempo dos viquingues. Época da exploração e colonização dos escandinavos na Europa e nas Ilhas do Atlântico Norte até o século XI. Além disso, o deus Tyr não possui a mão direita, que perdeu ao colocá-la dentro da boca do lobo Fenrir, filho de Loki, quando este estava preso.

Por fim, o mais valente de todos os deuses nórdicos foi profetizado para matar e ser morto por Garm. O cão de guarda dos portões de Hel durante o Ragnarok (final do mundo humano e divino).

O conto mais conhecido de Tyr

Portal dos Mitos

Fenrir, um lobo, é um dos filhos de Loki. Enquanto Fenrir envelhecia ia se tornando mais feroz e crescia assustadoramente, ficando cada vez maior, o que causou preocupação aos outros deuses. Em suma, os deuses resolveram manter Fenrir como um guarda de Asgard, mas para isso, precisariam prendê-lo.

Ademais, pediram aos anões que forjassem uma corrente que não pudesse ser quebrada. Dessa forma, os anões usaram itens místicos para fabricar a corrente, tais como:

  • O som do passo de um gato
  • As raízes de uma montanha
  • Os tendões de um urso
  • A barba de uma mulher
  • A respiração de um peixe
  • E por fim, o cuspe de um pássaro

No entanto, com a corrente pronta, Fenrir desconfiava que algo estava errado. Dessa forma, quando os deuses foram colocar as correntes em sua volta, a princípio ele não aceitou. Por fim, ele concordou que passassem a corrente nele, desde que um deles colocasse a mão em suas mandíbulas como garantia.

Apenas Tyr era corajoso o suficiente para fazer o que o lobo queria, mesmo sabendo que perderia a mão, assim que Fenrir descobrisse o que os deuses planejavam. Então, ao perceber que não conseguia sair das correntes, Fenrir arrancou a mão de Tyr, o deixando apenas com a mão esquerda.

Curiosidades

Pinterest

  • O maior símbolo de Tyr como divindade é a sua lança, arma que representa a justiça e a coragem, criadas pelos anões filhos de Ivald, armeiros de Odin.
  • Além disso, devido a sua coragem, o deus Tyr é representado pela runa Tîwaz. Que era esculpida nas armas dos guerreiros em homenagem ao deus da guerra. E assim, garantir a vitória nas batalhas.
  • O deus Tyr também está associado ao dia da semana, terça-feira (Tuesday), cuja nomeação foi em sua homenagem.
  • Algumas cerimônias e rituais eram feitos pelo povo escandinavo como forma de homenagear o deus Tyr. Normalmente, os rituais incluíam sacrifícios humanos, com os prisioneiros que perdiam a guerra. Onde eram presos em árvores e, ali ficavam até a morte, acreditando que isso fazia deles tão corajosos quanto o deus da guerra nórdica.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Mitologia nórdica – Origem, principais deuses e seres mitológicos

Fontes: Storyboard, Caminho Pagão, Escola Educação

Imagens: Welt, Portal dos Mitos, Pinterest

More in Fatos&Fatos.com