fbpx

Superlua, o que é? Como acontece e curiosidades desse fenômeno lunar

Provavelmente você já olhou para o céu e notou que a Lua aparentava estar um pouco maior e mais brilhante do que o normal. Assim sendo, esse fenômeno lunar é denominado como Superlua, ou Lua cheia perigeana, como é chamada na astronomia. Ademais, ela se caracteriza pela Lua estar apresentando uma aparência até 15% maior e 30% mais brilhante.

Por outro lado, esse acontecimento se realiza quando a Lua se encontra em sua fase completa, que é a lua cheia, além de atingir o perigeu, o ponto mais próximo da Terra. Pois, normalmente, a Lua leva cerca de 27 dias para dar a volta completa na órbita da Terra. Dessa forma, o termo surgiu através do astrólogo Richard Nolle, em 1979. Em suma, ele alega que a Lua deveria estar a pelo menos 363 mil km da Terra para ser considerado o fenômeno Superlua.

Além disso, devido a atração gravitacional que a Lua exerce sobre os oceanos e as marés acabam se alterando um pouco. Isto é, as marés altas crescem um pouco mais que o normal e as marés baixas podem sofrer diminuição. No entanto, nenhum desses fatores provocam inundações e destruições. Por fim, existe curiosidades sobre essa ocorrência. Por exemplo, que é possível ocorrer um eclipse de Superlua, onde ela se coincide com um eclipse lunar.

O que é a Superlua?

Veja

A Superlua consiste em quando a Lua cheia encontra-se na posição de sua órbita mais próxima da Terra, chamado de Perigeu. Ademais, quando esse fenômeno ocorre, a Lua aparenta estar até 15% maior e 30% mais brilhante. Em suma, a Lua gira em torno da Terra em uma trajetória elíptica.

Logo, apresenta uma distância média em relação à Terra de 384.405 km, no perigeu, que é o ponto mais próximo da Terra. Por outro lado, a distância chega a 405.363 km no apogeu, o ponto mais afastado da Terra.

Como ocorre a Superlua?

Agência Brasil

A princípio, o termo Superlua foi utilizado em 1979, prelo astrólogo americano Richard Nalle. No entanto, o nome oficial do fenômeno na astronomia é denominado de Lua cheia perigeana. Em síntese, a órbita da Lua em torno do planeta Terra é elíptica.

Por isso, a lua acaba aparentando estar mais próxima ou afastada. Normalmente, a Lua gasta cerca de 27 dias para dar a volta completa na órbita da Terra. Desse modo, ao longo do trajeto, a Lua pode se encontrar mais próxima da Terra ou mais afastada, sendo o Perigeu e Apogeu.

Logo, a Superlua ocorre quando a Lua se encontra na fase completa, lua cheia, e atinge o Perineu, estando próxima da Terra. Esse fenômeno, embora seja frequente, não acontece todo mês porque a órbita lunar muda à medida que a Terra gira em torno do Sol e também por influência dos outros planetas.

Como observar esse fenômeno?

Portal da Cidade

Para poder observar o fenômeno da Superlua, é necessário se atentar para algumas questões. Ademais, a boa visualização desse fenômeno depende e varia conforme as condições do tempo. Logo, o ideal é o céu estar limpo, sem nuvens, neblina ou fumaça. Além disso, para ver melhor, é interessante que você vá para um lugar longe das árvores, casas e pontos de iluminação.

E, o melhor horário para se observar o fenômeno é logo após o pôr do sol, pois não está totalmente escuro nem muito claro. Portanto, é possível visualizar a SuperLua a olho nu. Entretanto, para ter uma melhor experiência, definição e até mesmo estudar o fenômeno e o satélite, é possível fazer o uso do telescópio.

Quais os efeitos da Superlua?

Depositphotos

Nos momentos em que ocorre uma Superlua acontecem alguns efeitos. Por exemplo, algumas variações das marés dos oceanos. Pois, isso ocorre devido a atração gravitacional que a Lua exerce sobre os oceanos. Logo, provoca pequenas alterações nas marés, mas nada muito agravante que ocasione alagamentos ou destruições. Em síntese, as marés altas crescem um pouco mais que o normal e as marés baixas podem sofrer diminuição.

Curiosidades desse fenômeno

Cabeza News

Existem algumas curiosidades sobre o fenômeno da Superlua. Dessa maneira, confira algumas delas:

  • Em 2016 ocorreram três Superluas seguidas. Ademais, a Superlua de 14 de novembro de 2016 atingiu o ponto mais próximo da Terra desde 26 de janeiro de 1948.
  • Acredita-se que uma Superlua ainda mais próxima ocorra em 2034.
  • Um eclipse de Superlua ocorre quando uma Superlua coincide com um eclipse lunar. Por isso, trata-se de um evento raro que ocorreu apenas cinco vezes desde 1910.
  • Segundo Richard Nolle, o criador do termo Superlua, esse fenômeno estaria relacionado com desastres naturais. No entanto, esse posicionamento não foi realmente comprovado.

Enfim, fique de olho no céu para não perder o próximo fenômeno da Superlua. Se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Lua de Sangue, o que é? Como, quando e por que o fenômeno acontece? 

Fontes: Brasil Escola, Calendarr, Segredos do Mundo, Olhar Digital

Imagens: Agência Brasil, Veja, Portal da Cidade, Cabeza News, Depositphotos

More in Fatos&Fatos.com