Seis ideias de conteúdos para criadores gamers

Diversificar o conteúdo é uma estratégia importante para criadores de qualquer segmento. Para o público, não é interessante acompanhar perfis que parecem fazer sempre a mesma coisa. Produzir materiais diferentes é importante para ampliar o alcance, fisgar novos inscritos com diferentes interesses e também para não esgotar uma pauta e acabar sofrendo com bloqueios criativos.

Além disso, apostar em diferentes temas pode ser refrescante enquanto rotina de trabalho e estratégico quando falamos em crescimento e engajamento.

No YouTube, por exemplo, é comum os criadores utilizarem as playlists para agrupar conteúdos do mesmo assunto que são publicados nos canais. O que também chamamos comumente de quadros. Uma blogueira de moda e beleza, por exemplo, pode ter um quadro/playlist de tutoriais de maquiagem, outro de dicas de looks para diferentes ocasiões e outro sobre cuidados com os cabelos. 

E para os gamers não é diferente. Dentro desse universo há diversos tipos de conteúdos e que, além das vantagens já mencionadas, podem abrir portas para parcerias com marcas. Por isso, a coluna Press Start desta semana traz uma lista com seis ideias (e exemplos) de conteúdos para criadores gamers:

1. Streaming

Um dos principais (se não o principal) tipo de conteúdo para criadores gamers é a famosa gameplay streamada ao vivo. Ainda mais nesse momento em que o consumo de lives e streamings está em alta. Segundo relatório da 123scommesse, os streamings de games atingiram quase 30 milhões de horas assistidas em 2020, o que representa 78% a mais do que em 2019. E o segmento não para de crescer!

Aproveitar essa tendência pode ser uma ótima oportunidade para acelerar o seu crescimento como criador ou criadora de conteúdo na área. Além disso, o formato de live é mais espontâneo (orgânico) do que os vídeos editados e ainda permite a interação com o público em tempo real, o que aproxima as pessoas ainda mais dos fãs e fortalece o senso de comunidade.

Alanzoka, que atualmente é o criador gamer brasileiro mais seguido na Twitch, reproduz muito bem essa temática. Além de muita jogabilidade, Alan entrega simpatia, carisma e muita interação com o chat ao vivo, confira: 

2. Gameplays Gravadas

Outro formato que também funciona muito bem são as gameplays gravadas e editadas. Afinal, é humanamente impossível streamar 24 horas por dia, e enquanto você não está online ou produzindo conteúdo, o consumo de conteúdo on demand está acontecendo na internet a todo vapor.

Por padrão, as lives já ficam disponíveis na íntegra para consumo sob demanda nas plataformas, depois que as transmissões são encerradas. No entanto, você também pode aproveitar os conteúdos das suas streams para gerar vídeos mais curtos. Como as lives geralmente possuem uma hora ou mais de duração, precisamos pensar nos usuários que não gostam ou não têm tempo para assistir a conteúdos longos. 

Nesse caso, você pode editar as transmissões, deixando apenas os melhores momentos, engraçados ou importantes, e hospedar no YouTube, por exemplo. Ou ainda criar memes ou pílulas para o Instagram, Twitter e TikTok. Um exemplo é a streamer e criadora Samira Close, que publica no YouTube os melhores momentos das gameplays:

Mas reaproveitar conteúdos não é a única forma de proporcionar gameplays on demand. Se você joga no smartphone ou em consoles, por exemplo, também pode gravar os jogos mesmo estando offline e sem interagir com o chat.

Na verdade, muitos usuários gostam apenas de assistir às gameplays como se fossem filmes, sem que o criador fique conversando com a audiência, narrando ou reagindo ao jogo. Esses espectadores conseguem se concentrar na jogabilidade e se envolver mais com a história do jogo.

Um exemplo disso é o canal FA Gamez, que publica vídeos dentro da temática de jogos como Resident Evil, Crysis e Back 4 Blood sem uma única palavra do criador. Toda a experiência é voltada à imersão no jogo. Atualmente com 86 mil seguidores, o canal têm tido ótimos resultados, como a gameplay de Crysis 3 remasterizado para PS5, que rendeu mais de 20 mil visualizações em menos de 24 horas:

3. Games Antigos

Como criadores de conteúdo, precisamos ter em mente que existe demanda para praticamente tudo o que se possa imaginar na internet. Neste cenário, há os saudosistas e nostálgicos que amam recordar e reviver experiências antigas.

Enquanto a maioria está produzindo conteúdo com os jogos do momento, postar gameplays de Super Nintendo ou de games dos anos 90, por exemplo, pode ser um diferencial. Se você possui canal no YouTube, pode aproveitar as playlists para organizar e distribuir seus conteúdos por ano, década, plataforma ou gênero.

O canal BRKsEDU faz muito bem essa diversificação e que organiza tudo em playlists. Olha só essa gameplay da playlist que ele criou para o Super Mario World:

4. Unboxing e Review de Produtos

Atualmente, milhões de consumidores pelo mundo possuem o hábito de pesquisar na internet a respeito de algum produto recém lançado ou que esteja pensando em comprar. 

Com isso, os unboxings e reviews de produtos se tornaram conteúdos importantes para criadores dos mais variados segmentos por dois motivos: o primeiro pelo potencial de audiência e engajamento desses conteúdos, o segundo pelo potencial de comercialização.

As empresas, sejam os fabricantes dos produtos ou os lojistas que comercializam esses produtos, têm muito interesse na audiência e no engajamento desse tipo de conteúdo. Quanto maior for a audiência do criador, maiores são as chances de aumentar as vendas dos produtos exibidos. Por isso, os vídeos de reviews e unboxings são relativamente mais fáceis de comercializar, ou seja, de fechar parcerias entre os criadores de conteúdo e as marcas. 

Por outro lado, são conteúdos que também agradam ao público que gosta de estar por dentro das novidades que estão sendo lançadas ou de conhecer melhor sobre produtos que estão planejando comprar. 

Claro que para isso, honestidade e sinceridade é imprescindível para não perder a credibilidade das pessoas. Jamais indique ou diga que é bom um produto que você não testou ou que testou e achou ruim. As pessoas que comprarem e se decepcionarem com o produto, poderão culpar você pela indicação e se tornar haters dos seus conteúdos. 

Para criadores gamers, além de testar jogos em lançamento, há uma enorme gama de produtos relacionados que podem ser explorados, como consoles, PC Gamers, mouses, teclados, headsets, controles, cadeiras e uma infinidade de acessórios e gadgets. 

Você pode começar com os produtos que você eventualmente comprar para o seu setup. Aproveite as compras que você fizer e não deixe de filmar quando as encomendas chegarem na sua casa e você for abrir as caixas pela primeira vez!

Para criadores de conteúdos iniciantes e que ainda não possuem audiência suficiente para negociar parcerias com grandes marcas, uma dica é propor parcerias com lojas menores pelo seu bairro ou cidade. 

Você pode oferecer a publicidade que você fará daquela loja no seu canal e em troca a loja empresa uma unidade daquele produto para você testar e produzir o seu conteúdo, por exemplo. Você pode ainda criar junto à empresa parceira, um link, código ou cupom de desconto para aquele produto e divulgar no seu vídeo, isso permite negociar um pagamento comissionado pelas vendas geradas através do seu conteúdo. Com o tempo, seu canal vai crescendo e ganhando poder de negociação de cachê para parcerias.

Como o mais importante é o conteúdo e, claro, cultivar a sua audiência, com ou sem parceria comercial, reviews e unboxing de produtos são conteúdos interessantes que você pode considerar incluir na sua linha editorial.

O Gameplayrj é um exemplo de canal que aposta nessa ideia eventualmente traz conteúdos de reviews sobre games e outros produtos relacionados:

5. Notícias e Curiosidades

Se você gosta de uma linha mais “jornalística” pode gostar de apurar tudo o que está acontecendo no mercado gamer e trazer as novidades mais quentes para o seu público.

Nessa linha, dá para criar conteúdos sobre lançamentos, curiosidades, bastidores sobre o desenvolvimento dos games, eventos, campeonatos… Assunto é o que não falta! Este mês, por exemplo, aconteceu a BGS (Brasil Game Show), um evento anual importante para os gamers e que rendeu bons conteúdos!

Um ponto importante sobre esses conteúdos é o poder de indexação e ranqueamento das palavras-chave, por geralmente se tratarem de trends. Ao falar sobre as novidades como lançamentos de jogos, tecnologias, consoles e dispositivos, ou também dos grandes eventos e campeonatos, você está aproveitando os assuntos do momento a seu favor, o que certamente vai atrair uma audiência importante para o crescimento do seu canal.

Mas você também não precisa se apegar apenas às trends nos seus conteúdos de notícias gamers. Histórias, curiosidades e bizarrices relacionados a temas mais antigos também funcionam, tanto que o Gaybol e o Rolandinho super apostam nessas pautas no canal Pipocando Games:

6. Dicas, tutoriais e detonados

Você sabe configurar o wifi no PlayStation 5? Ou sabe limpar os Joy-Cons do Nintendo Switch? Ou então você sabe a localização de todos os colecionáveis de Resident Evil 7? 

Muita gente que não sabe está pesquisando na internet para aprender. Sendo assim, você pode transformar seu conhecimento em conteúdo, é só ensinar o que sabe! As possibilidades para criadores gamers são infinitas.

O Cogumeloplay pensou nisso e criou uma playlist de detonado de Zelda Breath of The Wild no canal, com vídeos curtos que ensinam várias dicas para mandar bem no jogo:

Como vimos, as streams a gameplays são os tipos de conteúdo mais comuns para criadores gamers, mas você não precisa se limitar a eles! As possibilidades são muitas, basta olhar ao redor e você vai descobrir que há muito material no seu dia a dia que pode ser transformado em conteúdo.

Além disso, diversificar a sua linha editorial é importante e pode gerar ótimos frutos para o crescimento da sua audiência e engajamento. Por isso, considere incluir algumas dessas ideias, ou até mesmo outras, na diversificação dos seus conteúdos. Divirta-se e boas gravações.

More in Fatos&Fatos.com