Sátiros – Origem e simbologia das criaturas mitológicas

Em primeiro lugar, os sátiros são criaturas da mitologia grega. No geral, costumam ser descritas como divindades de poder reduzido, mas encontrados principalmente na natureza. Além disso, apresentam aspecto de homens, mas possuem causa, orelhas de asno e narizes chatos.

Além disso, costumam ter barbas longas e lábios grossos. Por outro lado, apresentam seus órgãos sexuais com dimensões acima da média. Mais ainda, são representados com ereções constantes.

Comumente, os sátiros viviam em campos e bosques. Ademais, mantinham relações sexuais com as ninfas e participavam dos cortejos de Dionísio. Porém, existem histórias que apresentam essas criaturas mitológicas na companhia de homens e mulheres humanas.

Sobretudo, esses seres acompanhavam Dionísio porque gostavam do vinho, da música e das orgias. Geralmente, faz parte da representação dessas espécies a presenta de flautas, címbalos, castanholas e gaitas de foles.

Por outro lado, as criaturas mais velhas recebiam o nome de silenos, com nome associado ao vinho. Antes de mais nada, as criaturas mitológicas mais velhas tinham grandes barrigas e eram calvos, estando majoritariamente embriagados.

Apesar da confusão, existe uma diferença entre os faunos e os sátiros. Basicamente, os faunos fazem parte da mitologia romana, estando associados ao culto de Baco, a versão alternativa de Dionísio. Sendo assim, os sátiros fazem parte da mitologia grega.

Sátiros - origem e simbologia das criaturas mitológicas
Fonte: Amino

Origem e história dos sátiros

A princípio, Sileno é o nome do lider ou pai dos sátiros. Além disso, é responsável pelas criaturas mais velhas dentro dessa espécie. No geral, estima-se que ele tenha sido o primeiro sátiro a existir no mundo.

Em contrapartida, o pai dos sátiros estava sempre na companhia de Dionísio, também embriagado. Apesar dos vícios pela esbórnia e bebedeira, essas divindades menores não são imortais.

Curiosamente, Sileno protagoniza o mito do rei Midas, que tinha a habilidade de transformar tudo que ele tocava em ouro. Em resumo, esse processo aconteceu após o sátiro embriagado ser resgatado pelos servos do rei. Logo em seguida, Midas o devolve aos cuidados de Dionísio que o concede um desejo.

Para além do sátiro ancião, outra figura muito relacionada a essas criaturas é o deus Pã. Em primeiro lugar, ele é o deus dos bosques, dos rebanhos e dos pastores. Mais ainda, apresenta representação muito semelhante à desses seres.

Por outro lado, Marsias também é um sátiro importante na mitologia grega. Em especial, essa criatura desafiou o deus Apolo em um concurso musical, mas acabou sendo derrotado em um júri constituído pelas musas.

Finalmente, o destino desse audacioso sátiro foi ser preso em uma árvore e sangrar até a morte. Porém, seu sangue transformou-se no rio Marsias, como sinal da benevolência do deus Pã.

Sátiros - origem e simbologia das criaturas mitológicas
Fonte: Amino

Simbologia e associações

No geral, os sátiros estão presentes nos dramas satíricos, como personagens cômicos que dão nome ao formato. Desse modo, representam um alívio e complemento às narrativas dramáticas de heróis e semideuses. Curiosamente, esse gênero também está associado ao deus Dionísio.

Porém, quando presentes nas tragédias gregas, essas criaturas mitológicas atuam de modo obsceno e exagerado. Sendo assim, costumam ter representações mais estúpidas e odiosas.

Além disso, a Bíblia Sagrada costuma apresentar os sátiros como sinônimos de demônios, principalmente pelo corpo parecido com bodes. Desse modo, os hebreus antigos utilizavam do termo sátiro para descrever demônios e seres sobrenaturais que habitavam lugares desolados. Sendo assim, a palavra hebraica se’irim se traduzia em sátiro.

Sobretudo, esses seres são figuras que representam a libertinagem da natureza, em especial pela relação com o sexo. Ademais, a forma com que se envolviam em grandes festas, com músicas, bebidas e orgias criou uma simbologia dessas criaturas como seres livres.

Apesar disso, existe uma conotação negativa aos sátiros, porque estão associados à animalização dos seres humanos. Dessa forma, os indivíduos que se mantivessem alinhados com valores superficiais e à boêmia tendiam a ser associados aos sátiros. Portanto, cria-se uma perspectiva dessas criaturas como algo menor, sem valor.

Por fim, os sátiros representam o estado natural dos seres humanos, quando convivem com seus desejos e paixões. Ainda que as simbologias os mostrem como criaturas selvagens, existia valor na relação íntima com a natureza. No geral, estavam presentes na cultura popular por meio das peças de teatro e das festas em homenagem a Dionísio.

E aí, gostou de conhecer sobre os sátiros? Então leia sobre Cidades medievais, quais são? 20 destinos preservados no mundo.

Fontes: Mitologia Grega Br | Sua Pesquisa | Amino | Fantasia

Imagens: Amino

More in Fatos&Fatos.com