Richard Speck, o assassino que matou 8 enfermeiras em uma noite

Richard Speck, o assassino em massa americano, ficou conhecido no verão de 1966, após assassinar oito estudantes de enfermagem em uma casa de Chicago, Estados Unidos. No entanto, esse não era o primeiro crime que ele cometia, antes disso, ele foi responsável por atos de violência. Mas sempre conseguia escapar da polícia.

Em suma, após as mortes das jovens mulheres que moravam juntas, houve uma caçada humana para capturá-lo, o que aconteceu dois dias depois. Dessa forma, Richard Speck foi preso e condenado a passar o resto de sua vida na prisão. Ademais, ele acabou morrendo de ataque cardíaco em 1991, aos 49 anos de idade.

Enfim, o assassinato em massa cometido por Speck foi considerado como um dos mais horripilantes da história americana, apenas uma das mulheres presente na casa conseguiu fugir. Alguns anos depois, com Speck já preso, uma gravação anônima surgiu. E nessa gravação, um dos prisioneiros perguntava a ele se havia cometido o crime, o que ele respondeu sem remorso algum e rindo: ‘Não era a noite delas’.

Richard Speck: quem foi

JusBrasil

Richard Speck nasceu na pequena cidade de Monmouth, Illinois, Estados Unidos, no dia 6 de dezembro de 1941. Em suma, Speck era o sétimo de oito filhos do casal Mary Margaret Carbaugh Speck e Bejamin Franklin Speck, que eram muito religiosos. No entanto, aos 6 anos, Speck perde seu pai, com quem tinha uma relação bastante próxima, que morre aos 53 anos devido a um ataque cardíaco.

Ademais, alguns anos após a morte do marido, Mary se casa com o vendedor de seguros, Carl August Rudolph Lindenberg, que era alcoólatra. Dessa forma, em 1950, se mudaram para East Dallas, no Texas, onde passavam de casa em casa, vivendo nos bairros mais pobres da cidade. Além disso, o padrasto de Speck possuía uma extensa ficha criminal e agredia ele e sua família constantemente.

Richard Speck não era um aluno sociável e sofria de ansiedade, por isso, não falava na escola e nem usou óculos quando precisou. Aos 12 anos, era um péssimo aluno e sofria com constantes dores de cabeça, conseqüência de uma queda da árvore. No entanto, existia uma suspeita que a causa das dores de cabeça fossem na verdade devido às agressões que ele sofria de seu padrasto. Por fim, acabou abandonando a escola.

Aos 13 anos, Speck começou a beber e, assim como seu padrasto, ficava bêbado constantemente, sendo preso pela primeira vez por invadir uma propriedade privada. E não parou por aí, continuou praticando pequenos delitos e sendo preso nos anos seguintes. Na mesma época, tatuou em seu braço a frase ‘Born to Raise Hell’, cuja tradução é ‘nascido para causar o inferno.

A vida de Richard Speck

JusBrasil

Em outubro de 1961, Richard conheceu Shirley Annette Malone, de 15 anos, que ficou grávida após três semanas de relacionamento. Ademais, Speck trabalhava a três anos na empresa 7- Up. Então se casaram em janeiro de 1962 e foram morar com sua mãe, que já havia se divorciado do seu padrasto e com sua irmã, Carolyn. Em 5 de julho de 1962, nascia sua filha Robbie Lynn, porém, Speck estava preso cumprindo pena de 22 dias devido a uma briga.

Enfim, Richard Speck, mesmo casado continuou com sua vida de crimes, dessa forma, em 1963, aos 21 anos foi preso por roubo e fraude, sendo liberto em 1965. No entanto, quatro semanas após ser solto, voltou à prisão com uma pena de 16 meses, por ter atacado uma mulher com uma faca de 40 centímetros. Mas, devido a um erro, só cumpriu 6 meses. Aos 24 anos, ele já havia acumulado 41 prisões.

Uol

Devido ao seu estilo de vida, Shirley quis se divorciar de Speck, além disso, ela relatou que sofria constantes estupros com uma faca. Então, se divorciaram em janeiro de 1966, onde Shirley ficou com a guarda total da filha. Logo depois, Speck foi preso por assalto e roubo, fugindo para a casa de sua irmã Martha, em Chicago. Onde esfaqueou um homem em uma briga de bar, roubou um carro e uma mercearia, mas, devido ao bom trabalho do advogado que sua mãe contratou, não foi preso. Apenas pagou uma multa de dez dólares por perturbar a paz.

Os terríveis crimes cometidos por Richard Speck

Youtube

Ainda em Chicago, Richard Speck matou uma garçonete de 32 anos, Mary Kay Pierce com um golpe de faca no abdômen que rompeu seu fígado. Ademais, Mary trabalhava na taverna de seu cunhado, chamada Frank´s Place. Contudo, seus crimes não pararam por aí, uma semana antes, ele havia roubado e estuprado uma senhora de 65 anos, chamada Virgil Harris. Enfim, após as investigações da polícia, Speck fugiu da cidade, sendo encontrado em um quarto de hotel, juntamente com pertences que havia roubado da vítima. Entretanto, ele conseguiu fugir novamente.

Ademais, seu cunhado conseguiu um emprego na Marinha Mercante dos Estados Unidos, porém, não durou muito. Pois, em sua primeira viagem, teve que voltar às pressas devido a uma crise de apendicite. Já na segunda, brigou com dois oficiais, encerrando assim sua curta carreira na marinha. Mas, antes de sair da marinha, corpos foram aparecendo onde quer que Speck fosse.

Dessa forma, as autoridades de indiana queriam interrogá-lo sobre o assassinato de três meninas. Da mesma forma, as autoridades de Michigan também quiseram interrogá-lo sobre seu paradeiro durante o assassinato de quatro outras mulheres, com idades entre 7 e 60 anos. No entanto, Speck conseguia sempre escapar da polícia.

O grande massacre

JusBrasil

Em julho de 1966, Richard Speck foi até uma taverna para beber, onde conheceu Ella Mae Hooper, de 53 anos, com quem passou o dia bebendo. Então, no final do dia acompanhou Ella até sua casa, onde a estuprou e roubou sua pistola de calibre 22. Dessa forma, ele saiu armado pelas ruas de South Side até encontrar uma casa que era dormitório de 9 estudantes de enfermagem do Hospital Comunitário do Sul de Chicago.

Já era quase 23 horas quando ele entrou por uma das janelas que não estava trancada, indo até os quartos. Primeiramente, ele bateu na porta da estudante de intercâmbio filipina Corazon Amurao, de 23 anos, também estavam no quarto, Merlita Gargullo e Valentina Pasion, ambas com 23 anos. Então, com a arma em punho, Speck forçou sua entrada e ordenou que seguissem para o próximo quarto. Onde estavam Patricia Matusek de 20 anos, Pamela Wikening de 20 anos e Nina Jo Schmale de 24 anos.

Em suma, Speck amarrou as seis mulheres com tiras de lençol, começando então com o massacre, onde levava uma a uma para outro cômodo. Então, ele esfaqueava ou estrangulava até a morte, Corazon foi a única sobrevivente, pois conseguiu rolar para debaixo da cama enquanto o assassino estava no outro cômodo. E no meio da carnificina, as outras duas estudantes que moravam no dormitório chegaram, mas foram esfaqueadas antes de conseguirem fazer algo.

Por fim, a última residente chegou tarde, após ser deixada na casa pelo namorado, Gloria Jean Davy, de 22 anos foi a única a ser estuprada e brutalizada sexualmente antes de ser estrangulada. E foi graças às chegadas tardias das estudantes, que Speck não se lembrou que faltava Corazon, que só fugiu após ter certeza que o assassino havia ido embora.

A prisão

These Americans

Após fugir da casa, Corazon Amurao saiu pelas ruas gritando por socorro, até que foi parada por policiais. Ao chegar ao local, os policiais ficaram horrorizados com a cena macabra que encontraram. Em suma, a sobrevivente contou à polícia que o assassino tinha sotaque sulista além de uma tatuagem, e assim as busca em todos os hotéis começaram. Conseguiram chegar à imagem de Richard Speck, que logo foi espalhada pela mídia, com medo de ser preso, ele tenta suicídio cortando suas artérias. Mas se arrepende e pede que um amigo o leve para o hospital.

Enfim, depois de idas e vindas, a polícia finalmente conseguiu pegar Speck, que foi reconhecido no hospital onde teria que passar por uma cirurgia para restaurar uma artéria. Ao receber alta, Speck é preso e levado a julgamento.

Tudo foi um grande acontecimento, pois era uma das primeiras vezes na história americana do século 20 que alguém matava pessoas aleatoriamente sem motivação clara. Durante o julgamento, Speck foi acusado, além do assassinato das estudantes, dos outros diversos crimes que havia cometido anteriormente. Entretanto, Richard Speck alegou que não se lembrava de nada por estar alcoolizado e que planejava apenas roubar suas vítimas.

Chicago Tribune- Corazon Amurao

Mas, ele foi reconhecido por Corazon Amurao, a única sobrevivente, além de impressões digitais encontradas na cena do crime. Dessa forma, após 12 dias de julgamento e 45 minutos de deliberação, o júri o declarou culpado, recebendo inicialmente a sentença de morte por cadeira elétrica. Entretanto, a sentença foi reduzida à prisão perpétua em 1971, quando a Suprema Corte decidiu que as pessoas que se opunham à pena de morte eram inconstitucionalmente excluídas do júri. Mesmo a defesa de Speck recorrendo, a sentença foi confirmada.

Cumprindo sua sentença

Chicago Sun Times

Richard Speck cumpriu sua sentença no Stateville Correctional Center, em Illinois. E durante todo o tempo que esteve preso foi encontrado com drogas e bebidas, inclusive recebeu o apelido de homem pássaros. Pois criava dois pardais que entraram em sua cela. Em suma, Richard Speck cumpriu 19 anos de sua sentença, morrendo em 5 de dezembro de 1991, devido a um ataque cardíaco.

No entanto, em 1996, um vídeo de Richard Speck foi divulgado ao público por um advogado anônimo. No vídeo, Speck usava calcinha de seda e tinha seios femininos cultivados com tratamentos hormonais contrabandeados. Enquanto usava grandes quantidades de cocaína, praticava sexo oral em outro prisioneiro.

Por fim, apesar de ter sido condenado pelo assassinato das 8 estudantes de enfermagem, Speck nunca foi oficialmente acusado pelos assassinatos de que era suspeito antes. E, oficialmente, esses casos permanecem sem solução até hoje.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Palhaço Pogo, o serial killer que matou 33 jovens na década de 1970

Fontes: JusBrasil, Aventuras na História, Crill17

Imagens: Biography, Uol, Chicago Sun Times, Youtube, These Americans, Chicago Tribune e Daily.

More in Fatos&Fatos.com