Ramadã, o que é? Origem e características do mês sagrado

O Ramadã faz parte das tradições muçulmanas no mundo, pois integra o Calendário Islâmico e as especificidades dessa cultura. Nesse sentido, compreende um período de um mês, onde os praticantes devem se separar dos prazeres mundanos para focar no eu interior.

Em primeiro lugar, o Calendário Islâmico tem bases no ciclo lunar. Desse modo, o Ramadã corresponde ao nono mês do ano e têm início a partir da combinação da lua nova com outros cálculos da astronomia. Sendo assim, o período exato para o início varia de acordo com a região.

Geralmente, um sacerdote muçulmano determina o período correto do Ramadã antes mesmo de seu início. Ademais, o mês sagrado do Islã envolve uma série de rituais e costumes para realização plena, como a prática do jejum e algumas abstenções. Por fim, costuma ser encerrado com a aparição da próxima lua nova, ou seja, entre 29 e 30 dias após o início do período.

Ramadã, o que é? Origem e características do mês sagrado
Fonte: G1

Como acontece o Ramadã?

Antes de mais nada, esse período é determinado para a purificação física e espiritual dos muçulmanos. Assim, envolve a abstenção de alguns hábitos, como da prática sexual, do fumo e até a ingestão de cafeína. No geral, essas abstenções buscam aproximar os fiéis de Deus, mas também praticar a abnegação com pessoas menos afortunadas.

Por outro lado, os muçulmanos também realizam doações para instituições de caridade, mas vale ressaltar que essa é uma prática comum para além do Ramadã. Comumente, os fiéis utilizam do tempo de inatividade para recitar o Alcorão ou frequentar as mesquitas.

Entretanto, costuma-se associar o Ramadã com a prática do jejum, ou suam. Nesse sentido, o jejum durante o Ramadã se configura como um dos cinco pilares do Islã, assim como a declaração de fé muçulmana, a oração diária, a caridade e a realização do Haje.

Desse modo, os muçulmanos passam o mês sagrado sem comer ou beber durante o período do amanhecer até o anoitecer. Ou seja, realizam a última refeição antes do sol nascer e somente fazem a próxima refeição após o pôr-do-sol. Além disso, a refeição antes do amanhecer recebe o nome de suhoor ou suhur e são feitas com alimentos de grande potencial energético.

Por outro lado, os muçulmanos quebram esse jejum com um gole de água ao pôr do sol, como fez o Profeta Mohammad há 1.400 anos. Mais ainda, após as orações do pôr-do-sol, um grande banquete chamado iftar é servido e compartilhado com familiares e amigos. Normalmente, realizam-se cinco orações diárias, incluindo o o Tarawih, uma oração especial no período noturno.

Por fim, o iftar costuma ser um verdadeiro evento social, com a montagem de barracas e mesas compartilhadas todas as noites. Porém, existem outras tradições importantes nesse período.

Ramadã, o que é? Origem e características do mês sagrado
Fonte: Carta Capital

Quais são as tradições do Ramadã?

Como citado anteriormente, os fiéis devem abster-se de sexo, cafeína, bebidas alcóolicas e do cigarro. Porém, o Ramadã ainda é um período de autocontrole, pois os muçulmanos devem evitar fofocas, discussões ou conflitos maiores durante o mês sagrado.

No que diz respeito às tradições, o Ramadã se apresenta como um ritual obrigatório aos muçulmanos que iniciam a puberdade. Nesse sentido, a autorização dos pais ou responsáveis para a prática do jejum representa uma transição entre a juventude e a vida adulta.

Normalmente, mulheres grávidas, menstruadas ou amamentando podem se isentar do Ramadã. Além disso, crianças, idosos, pessoas doentes, viajando e até atletas também costumam estar isentos das práticas.

Entretanto, no caso dos fiéis que quebram as tradições, o Ramadã é anulado. Desse modo, o indivíduo deve fazer o jejum for dois meses sequenciais. Nesse caso, enquadram-se as pessoas que desrespeitam as abstenções e rituais estabelecidos para o mês sagrado.

Ramadã, o que é? Origem e características do mês sagrado
Fotografia da celebração do fim do Ramadã, em Nova Deli, na Índia – Fonte: G1

Como se encerra esse período?

Para finalizar, o encerramento do Ramadã envolve momentos de adoração a Deus. Em resumo, isso se dá porque os muçulmanos recolhem a realização de seus pedidos e orações durante a Noite do Destino, ou Lylat al-Qadr. Por via de regram esse evento acontece nas ultimas dez noites do Ramadã, mas depende do período em que está localizado.

Sobretudo, a Noite do Destino simboliza o momento em que Deus enviou o Anjo Gabriel com a revelação do primeiro verso do Alcorão. Por fim, o Ramadã é concluído com a comemoração de um feriado chamado Eid Al-Fitr, com duração de três dias.

Nesse período, crianças recebem presentes, roupas novas e até dinheiro. Por outro lado, os muçulmanos participam de preces matinais e as famílias engajam em eventos sociais, como passar o dia em parques ou comendo normalmente.

E aí, gostou de conhecer sobre o Ramadã? Então leia sobre Ancestrais dos seres humanos – A evolução da espécie.

Fontes: Abraço Cultural | InfoEscola | Carta Capital

Imagens: Agência Brasil | G1 | Carta Capital

More in Fatos&Fatos.com