Quem é o “grande irmão” no programa Big Brother Brasil?

Em um episódio recente do reality show Big Brother Brasil, o participante Tiago Abravanel deu uma explicação bastante esdrúxula sobre o nome do programa. “Este é um jogo de relacionamento. E não é à toa que o programa se chama Big Brother, quem você escolhe para ser o grande irmão? Quem é esse cara que erra, acerta, se machuca, chora, vive?”, declarou o neto de Silvio Santos.

Abravanel não poderia estar mais equivocado em sua explicação — não por acaso, a internet ficou agitada quando seu comentário circulou. O nome do programa, na verdade, remete-se a um livro que não tem qualquer característica “fraternal” sugerida pelo participante. A obra em questão é 1984, uma obra de ficção científica escrita pelo inglês George Orwell em 1949.

Quem é o verdadeiro big brother?

(Fonte: Revista Bula)(Fonte: Revista Bula)

1984 é um romance que imagina um futuro distópico (ou seja, pior do que os tempos atuais). Ele descreve uma sociedade no ano de 1984, orientada por um regime totalitário em que o governo domina todos os espaços, sem liberdade a qualquer questionamento por parte da população.

O controle social é feito de diversas formas. Uma delas é a linguagem: o governo impõe o uso de certos termos e a proibição de outros, no intuito de que a população enxergue a realidade de determinada forma. Esse idioma fictício, chamado na obra de novilíngua, opera por meio da ressignificação das palavras, como na famosa frase do livro: “guerra é paz; liberdade é escravidão; ignorância é força”.

Outra forma de controle ocorre pela vigilância. Todos os espaços, públicos e privados, são cheios de telas que, supostamente, são dispositivos pelos quais o governo observa os cidadãos. A obediência, então, ocorre pela ideia de que o líder máximo do governo — um ditador referido apenas como o Grande Irmão — está vendo todos os passos de todas as pessoas. O medo é reforçado por cartazes espalhados pelas ruas que dizem “o Grande Irmão está vendo você”.

Daí surge a ideia do nome do programa Big Brother, que se fundamenta exatamente em uma vigilância constante dos participantes. Não por acaso, um dos “apelidos” dados à casa do BBB é de “a casa mais vigiada do Brasil”.

Big brother em outros produtos da cultura pop

(Fonte: Movie Assault)(Fonte: Movie Assault)

Não foi apenas a franquia Big Brother que se apropriou dessa premissa da vigilância como um aspecto usado para o domínio da população, há outros produtos da ficção que também sofreram influência do livro 1984, de George Orwell.

O filme O Show de Truman, protagonizado por Jim Carrey em 1998, imagina um sujeito que, desde pequeno, vive uma vida totalmente vigiada, sem que ele saiba. Tudo em seu entorno é criado: sua casa, sua rua e até sua cidade são cenários montados, e a vida inteira de Truman é um grande show transmitido na televisão.

Outro produto, também certamente influenciado por George Orwell, é a série de ficção científica Black Mirror, disponível na Netflix. Um episódio específico, chamado “White Bear”, transmite o mesmo tipo de terror proposto por 1984, fundamentado nas consequências da vigilância governamental. Nessa história, uma mulher acorda e não se lembra de quem é e, ao sair de casa, começa a se dar conta de que várias pessoas a estão fotografando e filmando, mas ignoram seus pedidos de socorro.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.