Por que o Cupido é símbolo do Dia dos Namorados?

O Dia dos Namorados é comemorado no Brasil no dia 12 de junho. Nos Estados Unidos, entretanto, o Dia de São Valentim — equivalente ao que celebramos aqui — ocorre anualmente no dia 14 de fevereiro. Apesar das datas divergentes, o que ambas as comemorações possuem em comum? O Cupido como símbolo do amor. 

Armado com um arco e flecha, esse pequeno guerreiro do amor é visto como o responsável por voar por aí e encantar casais para que desenvolvam uma conexão amorosa. Porém, como é que uma criança com asas foi se tornar uma marca entre os enamorados? É sobre isso que falaremos no texto de hoje. Olha só!

Por que o Cupido é um bebê?

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A imagem tradicional do Cupido que você tem em mente é uma representação artística de Eros, o deus grego do amor. É comum encontrá-lo sendo representado como um homem bonito e atraente pela arte moderna e poesia, porém não era isso que acontecia durante o período helenístico — que durou entre 321 a.C. e 31 a.C..

Nessa época, Eros se transformava na criança alada gordinha que conhecemos e amamos hoje. Representar Eros como um bebê, e subordinado à sua mãe, era uma forma de conter ou limitar o poder que se pensava que o amor tinha sobre nós. E de onde surgiu o nome Cupido? Isso pode ser explicado pela conexão entre Grécia e Roma.

Os romanos reinterpretaram vários dos mitos gregos, e Eros não escapou dessa conexão. Então, assim como Zeus virou Júpiter, Eros virou Cupido — que deriva da palavra “desejo”. E se o nome foi mudado durante esse processo, a imagem do bebê rechonchudo continuou sendo propagada pelo mundo.

Cupido e o Dia dos Namorados

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Durante séculos nos Estados Unidos, o dia 14 de fevereiro é visto como uma data para a celebração do romance. Por esse motivo, o Dia dos Namorados é sempre celebrado com muitas flores, chocolate e presentes românticos. Então, é provável que o Cupido simplesmente tenha parecido ser um ótimo símbolo para esse evento.

Portanto, é bem provável que a imagem de Eros e Afrodite, sua mãe e deusa do amor, ainda estivesse relativamente em alta quando os primeiros cartões do Dia de São Valentim passaram a ser distribuídos no século XIX. Logo, por que não adotá-los como símbolos para uma data tão conveniente?

Por esses e outros motivos, românticos ao redor do planeta adoram pensar na ideia de que um garoto travesso, mas bem intencionado, possa ser o responsável por flechar duas pessoas desconhecidas e fazê-las entrarem em uma paixão terna e duradoura. E agora que você conhece a história sobre o Cupido, fique atento para o próximo Dia dos Namorados! Quem sabe Eros não estará vagando por aí pronto para te flechar também?

More in Fatos&Fatos.com