Por que a pandemia de covid-19 afetou mais as mulheres?

A pandemia de covid-19, que enfrentamos desde 2020, tem sido prejudicial a todo mundo. Mas há um grupo que foi especialmente afetado pelos danos causados durante todo este tempo: as mulheres. Elas ficaram mais sobrecarregadas, perderam postos no mercado de trabalho ou cogitaram sair do emprego para cuidar de suas famílias.

O Instituto McKinsey, que faz um acompanhamento do impacto da presença feminina no mercado de trabalho, fez constatações estarrecedoras. A primeira: a pandemia afetou diretamente no emprego das mulheres, 1 em cada 4 mulheres pensou ou está pensando em sair do trabalho — enquanto homens, 1 a 5 cinco. Os subgrupos mais impactados, conforme os dados, são as trabalhadoras que são mães, mulheres que ocupam cargos de gerência e as mulheres negras.

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Historicamente, as mulheres trabalhadoras têm médias menores de salário em relação aos homens, e estão mais propensas a aceitar subempregos. Por isso mesmo, elas são mais vulneráveis à dispensa de seus trabalhos em momentos de crise, como uma pandemia.

Já a tendência a sair do mercado de trabalho reflete múltiplos fatores. O mais óbvio deles é o acúmulo de funções: na pandemia, as mulheres tiveram que assumir mais responsabilidades com os filhos e com atividades dentro de casa. Outro aspecto é que as oportunidades de trabalho pioraram, especialmente para as mulheres. Neste quesito, entra a sobrecarga de trabalho (assumindo funções de profissionais desligados, por exemplo) e a falta de perspectiva de crescimento dentro de uma empresa.

Outra constatação é que, no caso das mães, quanto menor é o filho, mais impactada foi a sua rotina de trabalho. Mulheres com filhos com menos de dez anos têm 10% de chance a mais de saírem do emprego do que os homens. Isto porque, com a pandemia e os fechamentos de serviços e instituições, como as escolas, as trabalhadoras tiveram um acúmulo de atividades profissionais e domésticas muito maior do que seus parceiros.

A saúde mental das mulheres

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A sobrecarga de trabalho (externo à família e dentro da própria casa) é um sintoma nítido de outro problema agravado neste período: a saúde mental. Além do estresse envolvendo os riscos causados pela COVID-19, aparecem aqui outros fatores tangenciais que aumentam a propensão ao sofrimento mental, como o aumento do isolamento nas relações sociais e no próprio ambiente de trabalho.

Um dado interessante que ilustra bem essa situação são as pesquisas mais feitas no Google durante esse período. Segundo o relatório do Google Trends, os últimos 12 meses bateram recorde na procura dos termos “cansada psicologicamente” e “cansada mentalmente”.

Aumento da violência contra as mulheres

(Fonte: Freepik)(Fonte: Freepik)

Outro fato triste diz respeito ao aumento da violência contra as mulheres neste período — provocada, em parte, pela maior permanência das pessoas dentro de casa durante os lockdowns e a crise econômica. O Global Protection Cluster (rede ligada à ONU que fornece proteção às pessoas afetadas por crises humanitárias) observou um aumento de 90% da violência contra as mulheres em alguns países, como o Afeganistão, Síria e Iraque. 

A informação é reiterada por um fato curioso: enquanto a violência sofrida pelas mulheres nas ruas caiu (provavelmente por conta da diminuição da circulação de pessoas com as restrições sanitárias), ela aumentou nas casas. No Brasil, a pesquisa “Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil”, encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública ao Instituto Datafolha, mostrou que 24,4% das mulheres relatam ter sofrido algum tipo de violência ou agressão durante o período da pandemia de covid-19.

O mesmo relatório do Google Trends também constatou um crescimento exponencial nas buscas relacionadas à violência doméstica. No Brasil, por exemplo, perguntas como “o que entra na agressão doméstica” e “como denunciar violência doméstica” atingiram o pico mais alto de pesquisa nos últimos 17 anos.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.