O que são Lua Azul, Lua de Sangue e Lua Rosa?

No decorrer da história, recorremos muitas vezes aos eventos lunares para explicar acontecimentos bons e ruins ao redor. Por exemplo, houve uma época que as pessoas acreditavam que a Lua de Sangue sugeria uma destruição iminente ou que a Lua Azul aumentava a fertilidade feminina.

(Fonte: Shutterstock/Reprodução)(Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Essa relação mística e misteriosa com a Lua contribuiu para que culturas do mundo inteiro criassem vários nomes para nosso satélite natural, cada um com seu significado. É claro que muitas crenças foram superadas pela ciência, mas muitas expressões curiosas ainda são usadas. 

A seguir, vamos explicar por que temos a Lua de Sangue, a Lua Azul e a Lua Rosa. Acompanhe!

Lua de Sangue

Lua de Sangue” não é um termo científico, embora nos últimos tempos esteja sendo muito usado para se referir a um eclipse lunar total, visto que a Lua eclipsada adquire cor avermelhada.

(Fonte: Picture-Alliance/ Keystone/C.Merz/Reprodução)(Fonte: Picture-Alliance/ Keystone/C.Merz/Reprodução)

Um eclipse lunar total ocorre quando a Lua passa pela sombra da Terra, que bloqueia a luz solar direta. Ainda assim, alguma luminosidade do Sol consegue chegar à superfície lunar indiretamente, através da atmosfera terrestre.

Quando os raios do Sol passam pela atmosfera, as cores mais próximas do espectro violeta são filtradas por um fenômeno chamado de espelhamento Rayleigh. É o mesmo evento que faz o nascer e pôr do sol ficarem coloridos.

Como os comprimentos de onda vermelha são os menos afetados por esse mecanismo, os raios que chegam à Lua são os de tom avermelhado, fazendo que ela, totalmente eclipsada, adquira uma cor vermelha.

Lua Azul

A Lua Azul não é azul. O nome tem a ver com o tempo em que ela ocorre. Um dos significados mais antigos desse termo definia a Lua Azul como a terceira Lua Cheia em uma estação com quatro luas cheias. De acordo com a NASA, isso acontece a cada 2,5 anos.

(Fonte: SpaceFellowship/ Rob Goldsmith/ Reprodução)(Fonte: SpaceFellowship/Rob Goldsmith/Reprodução)

Porém, mais recentemente, a expressão “Lua Azul” tem sido usada para se referir à segunda Lua Cheia em um mesmo mês. Entre uma Lua Cheia e outra há um espaço de 29,5 dias, em média. É nos meses de 30 ou 31 dias que esse fenômeno raro tem maior probabilidade de ocorrer.

Lua Rosa

Nos anos 1930, o Maine Farmer’s Almanac começou a divulgar em suas publicações os nomes que os indígenas dos EUA davam para os meses do ano e para os astros celestes. Segundo o almanaque, a Lua Cheia de abril é chamada de Lua Rosa. E não é porque muda de cor.

(Fonte: Shutterstock/Reprodução)(Fonte: Shutterstock/Reprodução)

O nome surgiu como uma homenagem dos indígenas à erva musgo rosa, também conhecida como phlox da montanha, musgo phlox ou phlox rastejante. Nativa da região leste dos Estados Unidos, na época da primavera suas flores cor-de-rosa vivo estão entre as primeiras a desabrochar.

No Hemisfério Norte, a estação das flores começa no fim de março, por volta dos dias 20 ou 21. No entanto, a primeira Lua Cheia só ocorre no mês seguinte. Já no Hemisfério Sul do planeta, a primavera tem início em setembro, então nem faz sentido usarmos a mesma expressão para uma Lua Cheia ocorrida em abril por aqui.

Há muitos outros nomes estranhos e criativos atribuídos à Lua pelos mais diversos motivos. Por exemplo, Lua Negra, Lua de Lobo e Lua da Colheita. 

Mas uma coisa é certa: seja qual for o nome que diferentes culturas e países dão para a Lua, ela é um astro que vale a pena ser observado, seja por curiosidade astronômica, seja por romantismo. Apenas se lembre de agendar em seu calendário os dias dos eventos mais importantes para não perder nem um, além de torcer para o céu não estar nublado.

More in Fatos&Fatos.com