O que é o invasivorismo e como isso virou tendência alimentar?

Você já ouviu falar sobre o invasivorismo? Essa tendência gastronômica tem ganhado cada vez mais espaço nos últimos anos, mas ela é tudo menos nova: os seres humanos comem espécies invasoras há muito tempo.

O invasivorismo tem sido apontado pelos seus adeptos como uma excelente maneira de equilibrar o interesse culinário com a sustentabilidade e questões ecológicas importantes.

(Fonte: Shutterstock/ Reprodução)(Fonte: Shutterstock/ Reprodução)

O que é invasivorismo?

A ideia base do invasivorismo é que devemos comer espécies invasoras propositalmente. O objetivo é ajudar a diminuir seu número e os impactos negativos que estão causando em uma determinada região. Ou seja, os praticantes escolhem e moldam sua alimentação visando evitar a devastação causada pelas espécies invasoras no meio ambiente local.

Os adeptos da prática vão desde pessoas comuns a chefes renomados da gastronomia mundial.

Quem são os invasores?

Qualquer espécie que seja introduzida em um novo ambiente por meio da ação humana pode ser considerada uma invasora. A atenção aqui é mais voltada para aquelas que quando crescem geram danos ecológicos e/ou econômicos na região.

Sendo assim, os invasores podem ser mamíferos, peixes, bivalves e até plantas. Algumas podem ser muito sinistras, a exemplo da kudzu, uma trepadeira que parece inocente, mas que ultrapassa facilmente árvores e cobre postes de luz e casas abandonadas. Outras passam quase que despercebidas, como o dente-de-leão.

(Fonte: Shutterstock/ Reprodução)(Fonte: Shutterstock/ Reprodução)

Os invasores podem ser saborosos, como um javali, ou ter um gosto para poucos paladares, a exemplo de uma lampreia. Até mesmo minúsculos mexilhões-zebra que entopem canos de residências entram no cardápio.

De qualquer maneira, espécies invasoras sempre seguiram o ser humano ao redor do mundo desde que nós aprendemos a nos mover.

(Fonte: Shutterstock/ Reprodução)(Fonte: Shutterstock/ Reprodução)

Ativismo acima dos dados

O problema do invasivorismo é que sua popularidade veio antes dos estudos científicos sólidos sobre sua eficiência. O que temos no momento são pequenos experimentos que ainda estão em andamento, mas nenhuma análise de dados em larga escala.

Além disso, o invasivorismo, muitas vezes, sai do campo ambientalista e passa para algo mais extremo: muitos levam o consumo das espécies invasoras a outro nível comendo qualquer animal que os incomode, por exemplo, animais que aparecem nos jardins e quintais de suas casas. Ou seja, não importa se o bicho está causando danos ao meio ambiente local, se entrou na propriedade sem ser convidado, vai parar na panela.

More in Fatos&Fatos.com