O que é NFT e por que esse mercado está crescendo?

Caso você tenha ouvido falar em NFT, mas não tenha entendido do que se trata, relaxe: você não é o único. Isto porque os NFTs são mesmo difíceis de entender. Para boa parte das pessoas, ainda é estranho imaginar que alguém pagaria muito dinheiro para comprar um arquivo digital. Neymar, por exemplo, recentemente gastou cerca de 6 milhões de reais para comprar NFTs de macacos do Bored Ape Yatch Club.

Mas o fato é que o mercado dos NFTs está em alta. Portanto, quem não quer ficar de fora das mudanças tecnológicas e sociais (que vão bem além de mundo das artes, vale ressaltar) precisa ter uma noção do que se trata.

O que é um NFT?

(Fonte: Exame)(Fonte: Exame)

Em linhas gerais, um NFT é um token não fungível. Ou seja, NFTs são uma espécie de certificado de autenticidade digital que não pode ser replicado. Quando você compra um NFT, está adquirindo uma “cópia única” de uma obra, por mais estranho que isso possa parecer.

O exemplo mais fácil para ilustrar isso é pensar nas cópias de obras de arte. Uma cópia do quadro da Monalisa, por exemplo, pode ser comprada em qualquer lugar, mas só existe um quadro original, cuja posse é do Museu do Louvre, em Paris. A lógica do NFT é mais ou menos essa: ao adquiri-lo, o comprador passa a ser o “dono” daquele arquivo.

A ideia do “não fungível” é importante para entender por que os NFTs podem custar muito dinheiro. Basicamente, não fungível quer dizer que ele não pode ser trocado por outra coisa. Pense, por exemplo, em uma moeda de um real: ela pode ser trocada por outra moeda, e terá exatamente o mesmo valor. A moeda, neste caso, é “fungível”, o que não acontece com um NFT: cada cópia é única.

Um mercado em ascensão

(Fonte: Bored Ape Yacht Club/Reprodução) (Fonte: Bored Ape Yacht Club/Reprodução)

O fato é que você provavelmente ouvirá cada vez mais dos NFTs nos próximos anos. Isto porque o mercado de NFTs — comercializados em valor de bitcoins, em plataformas específicas — está crescendo. Cada vez mais temos colecionadores de NFTs que compram itens no intuito de lucrar a longo prazo, exatamente como sempre ocorreu no mercado “real” do investimento em arte.

O exemplo do site Bored Ape Yatch Club é sintomático deste fenômeno. Este site se propõe a funcionar como uma espécie de “clube” para pessoas selecionadas — que são, na verdade, as que têm condições de comprar os NFTs das ilustrações. Lançado em abril de 2021, o site anunciou a venda de 10 mil NFTs das imagens dos macacos por 200 dólares em criptomoeda Ethereum. Todas as cópias foram vendidas rapidamente, o que supervalorizou estes NFTs. Não por acaso, Neymar pagou 6 milhões por uma delas.

Se isto tudo será bom ou ruim a longo prazo para os artistas e demais produtores de conteúdo, ainda é muito cedo para saber. Uma das propostas em torno dos NFTs é que os artistas passem a ganhar dinheiro a partir da digitalização do seu trabalho — o que é uma demanda importante em um cenário em que tudo pode ser copiado na internet, sem grandes problemas.

Porém, vale lembrar que há um investimento financeiro para se criar um NFT — e seu custo tende a aumentar à medida que mais gente entra neste mercado. Criar um NFT custa cerca de 70 dólares na criptomoeda Ethereum. Por isso, é preciso avaliar bem se vale a pena se jogar nessa moda.

More in Fatos&Fatos.com