Loreley: origem e história da famosa lenda alemã

Uma das lendas do rio Reno mais conhecidas é a história de Loreley. Cuja origem é datada no início do século XIX. No entanto, existem duas versões da lenda. A primeira foi escrita pelo poeta romântico alemão Heinrich Heine (1797–1856), em 1823. De acordo com a lenda alemã, Loreley, era uma linda sereia, jovem loura de cabelos longos. E que encantava os navegantes que passavam pelo rio Reno, em St. Goarshausen. Localizado entre as cidades de Koblenz e Wiesbaden, na Alemanha.

E graças a seus cânticos, Loreley seduzia pescadores e marinheiros, fazendo com que se afogassem nas águas turbulentas do rio Reno. Enfim, essa versão da lenda, chamada ‘Die Loreley’ se tornou mundialmente famosa. Inclusive, em 1837, o compositor Friedrich Silcher (1789–1860) usou o texto para transformar em música. Como resultado, se tornou uma das canções populares alemãs mais conhecidas do mundo. Sendo cantada até mesmo nas escolas japonesas.

Já a outra versão da lenda é menos conhecida. Em suma, o poeta romântico Clemens Brentano (1778–1842), escreveu Zu Bacharach am Rheine em 1801, inspirada em sua viagem ao Reno. De acordo com a lenda, Loreley era uma bela feiticeira, que atraia os homens com seus encantos. No entanto, após ser abandonada pelo homem que amava, acabou morrendo.

Por fim, sentada em uma rocha de 132 metros de altura, às margens do Reno, está uma estátua da jovem Loreley penteando seus cabelos. Dessa forma, cerca de 20 milhões de turistas visitam o Vale do Médio Reno, todos os anos. Além disso, desde 2002, a área entre Koblenz e Rüdesheim, foi tombada como Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco.

A lenda de Loreley: primeira versão

Turista Ocasional

Das duas versões da lenda do rio Reno, a menos conhecida foi escrita em 1801, pelo poeta Clemens Brentano. Em suma, a trágica história conta sobre uma linda feiticeira que morava nas proximidades do Reno. Ademais, a bela Loreley tinha o poder de enfeitiçar os homens com sua beleza. No entanto, certo dia um navegante, por quem era apaixonada, a abandonou.

Então, por estar infeliz, foi até um bispo pedir para morrer. Mas, o bispo se apaixona pela feiticeira e a manda para um convento. A caminho do convento, ao passar pelas rochas às margens do Reno, ela acreditou ter visto seu amado. Então, ela se joga das rochas para dentro do rio e, nunca mais foi vista.

A lenda de Loreley: versão mais popular

O Verso do Inverso

Por outro lado, o que tornou a lenda de Loreley tão conhecida, foi o poema de Heinrich Heine, escrito quase 20 anos depois. Em sua versão, Loreley era uma sereia de beleza incomparável, com longos cabelos louros. Ademais, nas noites de lua cheia, ela cantava com sua bela voz seduzindo os navegantes que passavam pelo Reno. Dessa forma, enfeitiçados, os navegantes se esqueciam que estavam conduzindo o barco. Consequentemente, o barco se chocava contra as rochas naquele perigoso trecho de águas turbulentas. Onde os navegantes morriam afogados.

O filho do conde do Palatinado, Ronald, também se apaixonou pelo canto da sereia. Como resultado, teve o mesmo fim dos outros navegantes. Então, furioso pela morte do filho, o conde enviou suas tropas para o penhasco, onde estava Loreley. Ao chegarem lá, ela estava sentada na rocha, penteando seus cabelos calmamente. Enfim, ao perceber a intenção dos soldados, ela jogou seu colar de pérolas dentro do rio. Onde se formou uma enorme onda, Loreley entrou na onda e sumiu no leito do Reno e, nunca mais foi vista. Entretanto, seu canto continuou sendo ouvido durante muito tempo, durante as noites claras de lua cheia.

Reno: trecho perigoso para os navegantes

Portal dos Mitos

O penhasco onde se encontra a estátua de Loreley tem uma altura de 132 metros e fica na curvatura do rio, formando a parte mais estreita do rio. Portanto, este trajeto sempre foi temido e cercado de mistérios, exigindo muita atenção dos navegadores. Em suma, naquela parte do Reno tem apenas 113 metros de largura e, em alguns locais, atinge 2 metros de profundidade. No entanto, antigamente o perigo era maior, devido às pontas dos rochedos. Mas, em 1930, as autoridades locais explodiram as rochas para minimizar o perigo.

Atualmente, existe toda uma infraestrutura no local, graças à lenda de Loreley, que atrai turistas de toda parte do mundo. Inclusive, os turistas podem comprar suvenires sobre a lenda do rio Reno nas diversas lojinhas da região. Por exemplo, canetas, canecos de cerveja, camisetas, tudo com a estampa da sereia. Além disso, foi construído um centro de visitantes sobre as rochas de Loreley. Onde estão expostos gravuras, fotografias e objetos relacionados ao transporte fluvial, à fauna e flora do Reno e sobre a viticultura, importante fator econômico da região.

Exposição

PixaBay

Com o objetivo de desvendar os segredos da lenda de Loreley, os museus das cidades de Bingen e Koblenz, resolveram realizar uma mostra conjunta. Em suma, a mostra foi intitulada como ‘Um penhasco no Reno’ (Bingen) e ‘Um sonho alemão’ (Koblenz).

Ademais, a ideia da exposição é reunir o mito com a história da região. E surgiu quando o Vale do Médio Reno foi tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco. Devido à grande variedade e beleza que a região possui.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Sereias existem? Saiba o que elas são e qual a origem do mito.

Fontes: DW, Alemanha e a Música

Imagens: O Verso do Inverso, Turista Ocasional, Portal dos Mitos, PixaBay

More in Fatos&Fatos.com