John Wayne Gacy, a história do verdadeiro Palhaço Assassino

O serial killer americano John Wayne Gacy ficou conhecido no final da década de 70 como o ‘Palhaço Assassino’. Apelido dado a ele pela imprensa, por ter torturado e assassinado 33 rapazes em Chicago, Estados Unidos. Ademais, no ano de 1988, Gacy foi condenado a 21 prisões perpétuas e 12 penas de morte. Então, após 14 anos preso, morreu em 1994 com uma injeção letal, onde suas últimas palavras fora: ‘Kiss my ass!’.

Primeiramente, John Wayne Gacy era um cidadão exemplar, o tipo de pessoa que dificilmente seria indicada como autor de qualquer tipo de crime, principalmente assassinato. Além disso, ele tinha o costume de se fantasiar de palhaço e animar crianças em hospitais, por isso, era muito querido por todos. Mas, na verdade, ele possuía outras personalidades, que seriam comprovadas posteriormente por psiquiatras.

De acordo com a investigações, Gacy começou matar em 1972, cujas vítimas eram todas do sexo masculino, no entanto, só foi descoberto em 1978. Pois, percebendo que seria pego, ele se entregou e revelou o paradeiro da maioria dos corpos das vítimas, que estavam em seu porão. Dessa forma, foram encontrados os restos de mais de 29 garotos entre 9 e 27 anos, com sinais de tortura, violência sexual e estrangulamento.

Enfim, Gacy dirigia pelas ruas de Chicago em busca de vítimas. E para atrais os rapazes, ele oferecia empregos em sua construtora. Dessa forma, ao entrarem em seu carro, ele usava clorofórmio para dopar os garotos, depois, os levava para sua casa e os amarrava. Então, a sessão de torturas e abusos começavam, muitas vezes as torturas eram feitas por uma de suas personalidades, o Palhaço Pogo. Foi por isso que o serial killer recebeu o apelido de Palhaço Assassino.

John Wayne Gacy: quem foi

Chicago Tribune

Nascido em 17 de março de 1942 nos subúrbios de Chicago, Estado de Illinois, Estados Unidos, John Wayne Gacy era filho de imigrantes europeus. Em suma, seus pais se instalaram em Chicago devido a grande oferta de trabalho nas indústrias da área. Ademais, Gacy era um menino gordinho, bastante apegado à sua mãe e às duas irmãs mais velhas. No entanto, seu pai era alcoólatra, dessa forma, abusava de sua família, principalmente Gacy, que apanhava de cinto de couro, era abusado sexualmente e ainda era humilhado publicamente. Dessa forma, ele era constantemente ridicularizado pelo seu pai, que sempre o tratava com desprezo, chamando-o de ‘mulherzinha’, ‘homossexual’, ‘filhinho da mamãe’.

Mas, mesmo com toda a humilhação e abuso, John Wayne Gacy amava seu pai e buscava o seu prestígio, o que nunca aconteceu. Ademais, aos 11 anos, uma pancada na cabeça fez com que um coágulo se formasse em sua cabeça. No entanto, só foi descoberto aos 16 anos, devido aos desmaios e convulsões constantes. Entretanto, seu pai pensava que aquelas convulsões eram fingidas e batia nele enquanto estava inconsciente.

Por fim, aos 17 anos, Gacy ainda foi diagnosticado como portador de uma doença cardíaca rara, que lhe causava dores insuportáveis. Além disso, foi considerado por diversos psiquiatras como uma pessoa compulsiva, perfeccionista, esquizofrênico, paranoico, sociopata, narcisista, mentiroso patológico e multipolar. Inclusive, Gacy contava à polícia que possuía quatro personalidades, o empreiteiro, o político, o palhaço e o assassino, que se autodenominava como Jack Hanson.

A primeira condenação

Grunge

Aos 20 anos de idade, John Wayne Gacy saiu de casa e foi para Las Vegas, onde conseguiu um emprego em uma funerária, mas, após três meses foi mandado embora. Pois era obcecado em observar os cadáveres que devia proteger. Então, voltou para Chicago e se matriculou em uma escola de negócios, ao se formar conseguiu um emprego em uma fábrica de sapatos na cidade de Springfield.

Foi na cidade de Springfield que Gacy encontrou sua primeira esposa, Marlynn Myers, com quem se casou em setembro de 1964. Posteriormente, ele e a esposa se mudaram para Waterloo, em Iowa, onde a família de Marlynn tinha um restaurante, no qual ele ocupou o cargo de gerente. E foi nessa época que Gacy começou a se sentir atraído por adolescentes.

Grunge

Dessa forma, em 1967, Gacy estuprou um jovem de 15 anos, chamado Donald Voorhees, sendo condenado a 10 anos de prisão. No entanto, devido ao seu bom comportamento carcerário, ele cumpriu apenas 18 meses da pena, sendo liberado com liberdade condicional. Devido aos acontecimentos que o levaram a prisão, sua esposa pediu o divórcio.

Portanto, ao sair da prisão, ele voltou para Chicago e fundou sua própria empresa. Ademais, ele enriqueceu e comprou uma casa em um bairro exclusivo de Chicago e ali, reencontrou uma antiga colega de escola com duas filhas. Com a qual começou a compartilhar a vida. Por fim, John Wayne Gacy se tornou um empresário de sucesso, que usava do seu dinheiro para fazer caridade.

John Wayne Gacy: cidadão exemplar

Chicago Tribune

Inicialmente, John Wayne Gacy era um homem de prestígio em Chicago, um bom vizinho e um cidadão exemplar, além disso, era casado e tinha duas enteadas. Ademais, era católico praticante, possuía liderança em comissões religiosas e era Membro da Defesa Civil no estado de Illinois. Também era capitão-comandante da Defesa Civil da cidade, tesoureiro do Partido Democrata, empresário, entre outras incumbências. Além disso, foi considerado como Homem do Ano na cidade, e em suas horas vagas, se fantasiava de Palhaço Pogo e animava crianças em hospitais e em festas beneficentes.

Dessa forma, com sua boa reputação, ninguém poderia imaginar que o pacato cidadão seria na verdade um assassino cruel, que se tornaria um dos maiores serial killers do mundo. Enfim, os vizinhos de Gacy o consideravam como um cidadão exemplar, apesar de reclamarem constantemente do cheiro de putrefação que saía de sua casa. Onde Gacy afirmava que o cheiro era proveniente dos esgotos e que iria limpar os canos pessoalmente, no entanto, a origem do cheiro era bem diferente.

Os assassinatos de John Wayne Gacy

JusBrasil

Entre os anos de 1972 e 1978, John Wayne Gacy estuprou e assassinou 33 garotos, embora o próprio Gacy tenha reconhecido que o número tenha sido maior. No entanto, o serial killer só foi descoberto graças a uma das vítimas que conseguiu escapar, Jeffrey Ringall, na época com 27 anos.

Em suma, Jeffrey contou a polícia que havia aceitado uma carona de um homem gordo e sorridente, que dirigia um Oldsmobile preto em março de 1978. Durante o trajeto, ele foi atacado pelo motorista que o dopou usando clorofórmio e, sempre que recuperava a consciência era sedado novamente. Por fim, acordou no dia seguinte no meio do Lincoln Park, mas não fazia ideia de como havia chegado até ali. Foi então que percebeu que seu corpo estava cheio de hematomas e queimaduras, ele foi levado ao hospital, onde ficou dias internado.

Quanto às sequelas, Jeffrey sofreu danos irreparáveis e permanentes no fígado, resultado do uso desmedido de clorofórmio. Além disso, se lembrava de ter sido abusado sexualmente e açoitado com um chicote. No entanto, não lembrava de muitos detalhes, o que impossibilitou que chegasse até o serial killer. Portanto, disposto a descobrir quem o sequestrou, após quase um ano do ocorrido, Jeffrey se lembrou de uma avenida que avistou na época.

Então, passou dias vigiando o local esperando que um Oldsmobile preto passasse por ali. E foi o que aconteceu, certo dia, o carro passou por Jeffrey, que não pensou duas vezes antes de segui-lo, chegando até a casa de Gacy. Finalmente, Jeffrey pode ajuizar uma queixa-crime contra seu abusador.

O Palhaço Assassino

NBC News

Percebendo que não tinha como fugir da acusação, Gacy confessou às autoridades que atraia suas vítimas mediante promessas de emprego ou dinheiro. Dessa forma, quando a vítima entrava em seu carro, Gacy a sedava com clorofórmio e a levava para sua casa. Chegando lá a vítima era algemada, violentada sexualmente, torturada e morta por estrangulamento, com corda ou com algum pano. Geralmente, durante a tortura, Gacy se fantasiava de Palhaço Pogo e lia passagens bíblicas para suas vítimas.

Por fim, o serial killer mostrou o local onde enterrava os corpos, que era embaixo do chão do seu porão, em um local construído exclusivamente para isso. Então, quando não havia mais espaço, começou a jogar os corpos no rio Des Plaines, em Illinois.

O caso chocou a população dos Estados Unidos, e por se fantasiar de palhaço, a imprensa apelidou Gacy de o Palhaço Assassino. Que ficou conhecido como um dos maiores serial killers da história. Então, no dia 6 de fevereiro de 1980, o julgamento do palhaço assassino começava. Durante o julgamento, a defesa de Gacy alegava que ele era doente mental, portanto não deveria ser submetido a uma pena de reclusão. Mas, a acusação alegava que ele tinha condições mentais de entender a ilicitude e gravidade de seus crimes.

A mãe e irmãs de Gacy testemunharam confirmando os constantes abusos sofridos por ele na infância, já os amigos, disseram que ele não era insano. Contudo, a testemunha-chave foi Jeffrey Ringall, que durante seu testemunho, chorava e vomitava compulsivamente, enquanto relatava o ocorrido. Dessa forma, no dia 13 de março, Gacy era julgado culpado pelo assassinato de 33 jovens e condenado à morte mediante injeção letal.

A execução de John Wayne Gacy

NBC News

Após o final do julgamento, John Wayne Gacy ficou preso por 14 anos antes que sua sentença de morte fosse cumprida. Durante o tempo que ficou preso, Gacy se tornou uma espécie de celebridade macabra. Então, recebia visitas de professores universitários, estrelas do rock e mulheres que se sentiam atraídas pela história do palhaço assassino.

Ademais, o serial killer tentou suicídio e acabou se tornando alcoólatra, então, para passar seu tempo ele pintava telas nas quais retratava a si mesmo vestido de palhaço. Suas pinturas ganharam fama, foram vendidas por altas quantias que variavam entre US$100,00 a US$20.000,00, inclusive algumas foram expostas em diversas galerias.

John Wayne Gacy – A história do verdadeiro Palhaço AssassinoJohn Wayne Gacy – A história do verdadeiro Palhaço Assassino

A execução de John Wayne Gacy estava marcada para o dia 10 de maio de 1994, poucas semanas antes dele completar 53 anos. Com a chegada da data, a cidade estava vibrando com a expectativa, todas as redes de rádio e televisão foram para a penitenciária Stateville, em Joliet, Illinois. Da mesma forma, a população foi para as ruas, onde cantavam e brindavam esperando pelo início da execução.

JusBrasil

Enquanto isso, dentro da penitenciária, Gacy comia sua última refeição acompanhado de sua família, que tiveram que se retirar às 21h. Então, exatamente às 00h01min, ele foi levado de sua cela, amarrado a uma maca, até a câmara de execução, onde testemunhas acompanhavam tudo através de uma janela. Entretanto, durante o procedimento, o tubo pelo qual o soro estava sendo ministrado entupiu, então tiveram que trocar o tubo enquanto Gacy bufava. Enfim, após 18 minutos, o palhaço assassino estava morto, causando alívio na população. No entanto, com sua morte, o paradeiro dos corpos de outras vítimas jamais seria revelado, pois Gacy se negou a dizer onde os outros corpos estavam.

Filmes inspirados na vida do Palhaço Assassino

News Beezer

O serial killer, conhecido como Palhaço Assassino, serviu de inspiração para várias produções cinematográficas e literárias, como é o caso de It: A Coisa, livro de Stephen King, lançado em 1986. Que viraria filme posteriormente. Dessa forma, os principais filmes inspirados na vida do assassino John Wayne Gacy foram:

  • Baseado no livro homônimo, o filme It: Uma obra prima do medo, foi lançado em 1990. Em suma, a história é sobre um grupo de crianças que se unem para investigar o desaparecimento misterioso de alguns jovens da cidade. Quando descobrem que o culpado é na verdade Pennywise, um palhaço cruel que se alimenta dos medos de suas vítimas, há vários séculos.
  • O filme Coringa, lançado em 2019, também foi inspirado no palhaço assassino de Gacy. Em suma, na nova versão, o coringa de Joaquin Phoenix usa sua maquiagem, olhos pintados de azul e boca vermelha, inspirada no serial killer. Além disso, há outras referências como o nome do bar que o Coringa se apresenta, Pogo´s, que é o nome artístico de Gacy. E a forma como o Coringa é chamado após cometer seus primeiros assassinatos, Killer Clown (palhaço assassino).
  • To Catch a Killer, de 1992, esse filme conta a história horripilante de Gacy e quem viveu o palhaço Pogo no filme foi o ator Brian Dennehy. Em suma, O longa mostra um respeitável homem de negócios, que gosta de crianças e é muito respeitado pela sociedade.  que adora crianças e sempre é um vizinho prestativo e amigável. Mas por trás da vida exemplar, ele assassinou 30 garotos e, agora será condenado por seus crimes.
News Beezer

Documentário

Youtube

O documentário chamado ‘John Wayne Gacy, Defending a Monster’, lançado em 2013, foi baseado no livro best-seller de mesmo nome. Em suma, no documentário a cruel história de Gacy é contada, porém, pela visão do jovem advogado que o defendeu nos tribunais. Que era recém-chegado à Defensoria Pública e teve como primeiro cliente em seu escritório particular um dos maiores serial killers da história.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Coulrofobia, o que é? Como a fobia se desenvolve? Tem tratamento?

Fontes: Super Abril, El País, JusBrasil, Darkside

Imagens: Chicago Tribune, NBC News, Grunge, Youtube, News Beezer

More in Fatos&Fatos.com