Jack Unterweger – História, crimes e relação com o Hotel Cecil

Johann Unterweger, mais conhecido como Jack Unterweger era um apresentador de televisão, jornalista e escritor famoso. Todavia ele não ganhou destaque pela sua profissão, e sim por atuar como um serial killer e matar pelo menos 10 mulheres em Viena e em vários outros países.

Sua história começa em 1950, ano em que nasceu, filho de Theresia Unterweger, uma garçonete e prostituta vienense. Desse modo, ele nunca conheceu seu pai biológico, apenas soube que ele era um soldado americano servindo nas Forças Aliadas, que ocuparam o país por dez anos após a Segunda Guerra Mundial.

Durante a gravidez, Theresia Unterweger foi presa por fraude, mas foi libertada antes do nascimento do filho. Antes de sua mãe ser novamente presa em 1953, ela enviou Johan, de dois anos, para morar com seu avô, um alcoólatra cruel que o espancava regularmente e fazia sexo com inúmeras prostitutas enquanto Johan dormia a centímetros de distância, na mesma cama.

Com efeito, o passado bastante conturbado, combinando a vida depravada da mãe e de uma tia que ajudou a criá-lo, contribuiu para nutrir em Jack Unterweger um ódio por prostitutas que duraria uma vida inteira. Ele provavelmente odiava as mulheres em geral, embora admitisse ter relações sexuais com mais de 150 mulheres que viveram para contar a história.

Primeiros crimes de Jack Unterweger

Fonte: Murderpedia

Durante a maior parte de sua juventude, Jack Unterweger entrava e saía da prisão por pequenos crimes e agressões contra prostitutas locais. Para se ter uma ideia de seu passado criminoso, entre 1966 e 1975 ele foi condenado dezesseis vezes, principalmente por agressão sexual, e passou a maior parte desse período de nove anos na prisão.

Contudo, em 1974, a fúria de Unterweger culminou no assassinato de uma prostituta de 18 anos, onde ele a estrangulou com seu próprio sutiã. Em 1976, as autoridades o pegaram e o júri o condenou a prisão perpétua. Enquanto estava na prisão, Unterweger se tornou um leitor voraz e desenvolveu uma paixão pela escrita.

Desse modo, ele publicou contos, peças, poemas e até uma autobiografia baseada nos abusos na infância e nos crimes que se seguiram. Assim, a autobiografia, Fegefeuer oder die Reise ins Zuchthaus (Purgatório ou A Viagem à Prisão: Relato de um Homem Culpado), chamou a atenção de um diretor de cinema, que adaptou o livro para um longa-metragem.

Curiosamente, o filme fez muito sucesso bem como os escritos de Unterweger. Assim, ele passou de um assassino cruel para um jornalista policial e autor carismático que fazia diferença na vida das pessoas. Inclusive, diversas celebridades europeias se juntaram à causa, exigindo a libertação de Jack da prisão.

Como resultado, ele saiu em liberdade em 1990, depois de cumprir apenas 15 anos da prisão perpétua. Todavia, sua mudança era apenas aparente.

Serial Killer e Estripador de Viena

Fonte: Murderpedia

Como jornalista policial, Unterweger se concentrou nos bairros de prostituição e no número alarmante de prostitutas desaparecidas. Ele cobriu seus próprios crimes. Após, deixar a prisão Seis mulheres foram estranguladas com seus sutiãs e depois jogadas em locais desolados. A Áustria teve seu primeiro serial killer e nenhuma experiência em lidar com vários assassinatos.

Contudo, nem todos estavam convencidos na reabilitação milagrosa de Unterweger. Então, um detetive aposentado notou que a série de assassinatos seguidos na Áustria e na República Tcheca condizia com o modus operandi do primeiro homicídio que mandou Unterweger para a prisão em 1976.

Assim, ele, o Estripador de Viena ficou sob vigilância das autoridades, sendo condenado pela segunda vez, mais tarde.

Hospedagem no Hotel Cecil

Jack Unterweger: história, crimes e relação com o Hotel Cecil
Fonte: Murderpedia

Mesmo sendo procurado pela polícia, Jack buscou a mídia para convencer o público de sua inocência. Ademais, ele continuou a dar entrevistas e a se fingir de vítima injustamente acusada. Em 1991, Unterweger viajou para Los Angeles como jornalista para cobrir uma história sobre crimes – mais particularmente prostituição – a convite de uma revista austríaca. Foi nesse período que ele se hospedou no infame Hotel Cecil.

Durante a estadia de Jack em Los Angeles, Unterweger entrevistou várias vítimas de prostituição com a ajuda de um policial local. Enquanto cobria a história, ele aproveitou a oportunidade para matar pelo menos três personagens de sua história, a maioria profissionais do sexo, estrangulando todos da mesma maneira.

Prisão e suicídio de Jack Unterweger

Jack Unterweger: história, crimes e relação com o Hotel Cecil
Fonte: Murderpedia

Por fim, Unterweger acabou sendo pego em Miami, quando estava fugindo depois que as três mulheres foram encontradas mortas em Los Angeles com sua marca de estrangulamento por roupa íntima.

Nesse momento, ele foi extraditado de volta para a Áustria, onde foi novamente condenado à prisão perpétua, em 1994. Sem medo da morte, ele acabou tirando a própria vida, enforcando-se com os cadarços e utilizando os mesmos nós que tiraram a vida de todas as suas vítimas.

Ficou curioso? Então, conheça mais sobre o Hotel Cecil neste artigo: Hotel Cecil – Lar de eventos perturbadores no centro de Los Angeles

Fontes: Ichi, Crill 17, Aventuras na História

Fotos: Murderpedia

More in Fatos&Fatos.com