Greyfriars Bobby: o cachorro mais leal de todos os tempos

Um cachorrinho na Escócia é mundialmente famoso por conta da sua lealdade absoluta ao seu dono, mesmo depois da morte dele. A história de Greyfriars Bobby começa no século XIX. O cãozinho da raça Skye Terrier, chamado Bobby, foi adotado por um senhor chamado John Gray, que trabalhava como vigia noturno. O bichinho acompanhava diligentemente o seu dono durante todo o seu trabalho.

No entanto, em 1858, John Gray morreu de tuberculose. Ele foi enterrado no Cemitério Greyfriars, em Edimburgo, capital da Escócia. E depois da morte de seu dono, Bobby seguiu demonstrando sua fidelidade absoluta: ele permaneceu ao lado do seu dono por 14 anos, enquanto os moradores da cidade levavam-lhe comida e cuidavam dele.

A saga de Greyfriars Bobby

(Fonte: Todos os Caminhos)(Fonte: Todos os Caminhos)

A história é bastante tocante. Com a morte do seu dono, o cachorrinho Bobby se recusou sair do lado do túmulo do seu dono. Dia e noite, com chuva e com sol, Bobby permanecia no cemitério, ao lado do local onde John Gray estava enterrado. Ele só saía uma vez por dia para fazer uma refeição.

Mas, quando ainda era vivo, John e Bobby possuíam outro ritual: depois do trabalho, eles paravam sempre no mesmo lugar para tomar um café. Quando passou a acompanhar o túmulo do seu dono, toda vez que Bobby ouvia o disparo da one-o-clock gun (um canhão situado no Castelo de Edimburgo), exatamente às 13 horas, Bobby mantinha o mesmo hábito e se dirigia ao Temperance Coffee House, onde costumavam tomar café.

Obviamente, agora não havia mais o cafezinho de John Gray, mas o dono do local, John Traill, passou a garantir que Bobby tivesse uma refeição todos os dias. O mesmo aconteceu com os guardas do antigo trabalho de John. A princípio, eles tentaram expulsar o cachorro da guarda; mas ao saber de sua história, prepararam um local para que ele pudesse se abrigar.

Bobby contou com a ajuda da população até para escapar da morte. Isto porque havia uma lei na Escócia que dizia que um cachorro sem dono deveria ser sacrificado. Mas, com a intervenção do Lord Provost de Edimburgo, Sir William Chambers, Bobby foi protegido. Ele ganhou uma coleira que dizia: “Greyfriars Bobby do Lord Provost, 1867, licenciado”. A partir daí ele passou também a levar o nome do cemitério onde seu dono estava enterrado.

O culto à lealdade de Bobby

(Fonte: Edinburgh News)(Fonte: Edinburgh News)

Em 1872, depois de 14 anos estando sempre ao lado do túmulo do seu dono, Bobby descansou. Ele foi enterrado no mesmo cemitério, não muito longe do local onde John Gray estava.

A cidade não esqueceu de Bobby e passou a prestar homenagens a ele. O local onde o cãozinho permanecia ganhou uma placa que diz “Greyfriars Bobby – morreu em 14 de janeiro de 1872 – com 16 anos. Que sua lealdade e devoção sejam uma lição para todos nós”.

Na frente do cemitério, foi construída uma estátua de granito em homenagem a Greyfriars Bobby. Ele recebe visitas em Edimburgo até hoje, dos turistas e dos moradores locais, e tornou-se um símbolo da cidade. Há uma lenda que diz que quem esfrega o focinho de Bobby terá sorte na vida.

More in Fatos&Fatos.com