Extinção do Cretáceo: como foi o evento que exterminou os dinossauros?

Você certamente sabe que os dinossauros foram extinguidos da face da Terra com a queda do asteroide que formou a famosa cratera Chucxulub, soterrada de baixo da Península do Iucatã, no México.

Isso aconteceu há 65,5 milhões de anos, durante o período do Cretáceo, o último ciclo da Era Mesozoica, em que os continentes começaram a migrar para a posição que ocupam atualmente.

Mas como foi a extinção do Cretáceo? Será que algo conseguiria sobreviver ao impacto mesmo se estivesse há milhares e milhares de quilômetros de distância do marco zero?

Como aconteceu

(Fonte: The Conversation/Reprodução)(Fonte: The Conversation/Reprodução)

Bom, a resposta é não. Filmes como O Dia Depois de Amanhã, 2012, Destruição Final: o Último Refúgio e o atual Moonfall, falam sobre a relação da raça humana com a própria extinção, porém não conseguem precisar de fato qual seria o cenário mais exato da palavra extinção.

O asteroide, chamado de “Impactor” pelos cientistas, era um pouco maior que a Ilha de Ovalau, em Fiji, que possui 106 km², o que não é nada comparado com os 510.100.000 km² da Terra em área de superfície e 12.742 km de diâmetro equatorial, porém ele deixou uma cratera de 193 mil quilômetros de largura. 

Estima-se que o asteroide viajava a 75 mil km/h quando a atingiu a costa da península de Iucatã, pesando cerca de 2,27 bilhões de vezes o peso de uma aeronave X-15, que pesa 6,620 quilos. Isso tudo causou uma força de explosão de 100 milhões de megatons, o equivalente a 100 trilhões de toneladas de TNT.

(Fonte: La Tercera/Reprodução)(Fonte: La Tercera/Reprodução)

Conforme discutido em um artigo da Nature, esses não foram os únicos fatores que tornaram a queda do Impactor algo apocalíptico, mas também sua trajetória e o ponto considerado estratégico de colisão.

Através de softwares, os cientistas conseguiram determinar que o asteroide atingiu a Terra em um ângulo de 45 a 60 graus, produzindo um círculo quase perfeito de detritos igualmente distribuídos do que se atingisse o planeta em um ângulo mais raso. Acredita-se então que, se ele tivesse caído diretamente em cima ou em um ângulo de 20 graus, os lados onde os dinossauros habitavam poderia ter saído ileso.

A onda de destruição

(Fonte: Species New to Science/Reprodução)(Fonte: Species New to Science/Reprodução)

Nada poderia deter a onda de devastação que o asteroide causou. O impacto culminou na morte instantânea de qualquer coisa que estivesse pelo caminho em um raio de 804 mil quilômetros de distância, formando uma parede de rochas e detritos com 32 quilômetros de altura em uma bola de fogo que viajava a cerca de 1.600 km/h. Tudo em 100 mil quilômetros simplesmente virou poeira.

A força foi grande o suficiente para fazer vaporizar rochas e causar uma chuva de rochas derretidas do céu, provocando incêndios florestais que queimaram todo o planeta rapidamente.

A chuva ácida fez erguer a temida escuridão de 24 horas que durou vários anos para dispersar, com uma queda de 82 graus na temperatura da superfície durante a noite, destruindo o ecossistema.

(Fonte: Dino Jurrasic/Reprodução)(Fonte: Dino Jurrasic/Reprodução)

É por isso que 80% de todas as espécies do mundo sucumbiram, incluindo a vida microcelular. Todos os dinossauros não-aviários foram extintos, bem como todos os mamíferos maiores que não puderam se esconder, e metade das espécies de plantas do planeta. Cerca de 75% dos invertebrados desapareceram dos oceanos.

Tudo o que não se adaptou para sobreviver à destruição, sofreu de uma morte lenta. Com trilhões de toneladas de poeira e detritos na atmosfera, causando um apagão no planeta, de árvores a plânctons morreram. Os níveis de oxigênio despencaram, a cadeia alimentar inteira se desfez, e tudo o que era vida não durou algumas semanas.

Após o asteroide, a vida se recuperou através do que sobrou de fauna e flora em adaptabilidade. Atualmente, o planeta está no meio do sexto grande evento de extinção, mas, diferente dos outros cinco, esse foi a própria humanidade que causou.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.