Divertido e acessível, Pokémon Unite é o mais novo MOBA na área!

Se você já jogou DOTA ou League of Legends, então você já tem familiaridade com o estilo MOBA. No entanto, para jogadores mais casuais esse estilo de jogo pode parecer um tanto complicado e distante da sua realidade. Mas, Pokémon Unite veio para simplificar e seduzir ainda mais jogadores ao mundo dos MOBAs! 

Afinal, MOBAs são mais do que dois times se enfrentando em uma arena. O gênero requer muita estratégia e habilidades em farm, build, roaming, gank, bait e tantas outras jogadas. Você precisa conhecer as skills dos seus personagens e as dos inimigos. Deve prestar atenção no ouro, na mana, no level, no countdown, no damage, no child, no speed-attack… Praticamente, é necessário estudar profundamente o jogo para conseguir jogar direito.

No entanto, Pokémon Unite traz a essência de um MOBA de forma muito mais simples, intuitiva e esteticamente fofa. Com isso, o jogo deve agradar aos jogadores mais casuais ou que não são familiarizados com esse gênero – e principalmente o público mais aficcionado por Nintendo.

Passei o final de semana inteiro jogando Pokémon Unite e assistindo gameplays no YouTube. O game tem causado polêmica desde que foi anunciado e ainda divide opiniões pelo mundo inteiro. A seguir, você confere um resumo de tudo isso e mais um pouco. Vem comigo!

Só Faltava um MOBA

“Bom, Pokémon já tem de tudo o que se pode imaginar, de meias e canetas a filmes de cinema. Por que não apostar em um estilo de e-sport que faz muito sucesso no mundo todo e que pode gerar lucros astronômicos?” – a The Pokémon Company pensou…

Quando foi anunciado em junho de 2020, Pokémon Unite deixou parte do público furioso devido ao fato de que um grande suspense havia sido feito sobre o novo game que estaria em desenvolvimento. Expectativas de um remake foram criadas e quando o teaser foi liberado, muitos fãs se decepcionaram por se tratar de um MOBA, ou como alguns disseram: um LOL, só que de Pokémon.

Para entender melhor a treta, confira esse vídeo do Coelho no Japão:

Lançado para Nintendo Switch na última quarta-feira (21) e com previsão de lançamento para mobile até setembro, o jogo é um free-to-play. O que significa que você gasta zero reais para baixar e começar a se divertir. Porém, a The Pokémon Company prefere chamar de free-to-start, o que eu acho uma nomenclatura mais justa, visto que não é fácil adquirir novos Pokémon e outros colecionáveis sem gastar uns bons dinheiros.

Nesse ponto, o jogo também mostra a que veio. No início, você vai contar com poucas opções de Pokémon para jogar. Para adquirir mais personagens e outros itens, você deve pagar em moedas (Aeos Coins), tickets (Aeos Tickets) ou gemas (Aeos Gems). 

Você ganha moedas e tickets grátis jogando partidas e cumprindo missões, mas a proporção de ganhos é um tanto incompatível com os preços dos colecionáveis. Ou seja, para adquirir Pokémon novos e outros itens do jogo dessa forma, você vai precisar jogar muuuuito e depois pensar muito bem como vai gastar os seus recursos.

Já as gemas só podem ser adquiridas na loja do jogo, pagando com dinheiro real. E comparando com os preços praticados em outros games, como o League of Legends, achei os valores bem salgados. Para você ter uma ideia, um pacote com 490 gemas está custando R$44,90, sendo que cada Pokémon novo custa de 345 a 575 gemas. Isso significa que um Pokémon (dos mais baratos) vai custar mais de R$30,00 ao jogador!

Imagino que a longo prazo esses preços podem causar uma debandada dos usuários que não podem ou não querem investir tanto dinheiro para ter mais opções de Pokémon, já que em algum momento vai ficar chato e repetitivo jogar sempre com os mesmos personagens.

Aliás, essa dinâmica de Pokémon Unite, de disponibilizar poucos recursos e cobrar caro dos gamers que quiserem “crescer” no jogo, já está sendo apontada como prática de pay-to-win! 

Pay-to-win é quando os gamers que investem dinheiro de verdade em itens de jogos ficam muito mais fortes in-game do que os outros players, que não podem pagar. Dessa forma, o jogo se torna injusto porque quem não tem dinheiro para comprar recursos não consegue jogar de igual para igual e é facilmente derrotado nas batalhas.

Jogos como League of Legends, por exemplo, disponibilizam campeões e colecionáveis para quem quiser pagar em dinheiro de verdade, mas sem deixar que isso interfira no equilíbrio das partidas contra os jogadores que não compram esses itens. No LOL é mais fácil de adquirir campeões completando missões, abrindo baús e juntando essências azuis. E mesmo os itens premium que só podem ser comprados com RP (que é pago com dinheiro de verdade), são itens estéticos como skins, emotes, molduras… Ou seja, itens que não deixam o player mais forte contra seus oponentes.

Em Pokémon Unite, esse suposto pay-to-win fica um pouco disfarçado (mas não muito), porque os jogadores ganham algumas moedas grátis enquanto jogam, mas para acumular o suficiente para comprar um único Pokémon, será necessário jogar algumas por dia, durante alguns dias. E o problema não é apenas a aquisição de novos personagens, porque a loja de Pokémon Unite também vende itens que oferecem algumas vantagens in-game, como mais dano, escudo ou cura, por exemplo.

Pokémon Unite Is not The New LOL

Polêmicas e decepções à parte, eu adoro um MOBA e aproveitei o último fim de semana para baixar Pokémon Unite e ver “coé”. Resultado: joguei o fim de semana inteiro! O game é muito divertido e cativante – e nostálgico para um fã veterano de Pokémon como eu.

Resumidamente, no modo principal o jogo consiste em dois times de cinco jogadores cada, que se enfrentam em uma arena, em partidas de até 10 minutos. Vence o time que marcar a maior pontuação.

Para pontuar, cada jogador controla um Pokémon, com o qual deve lutar contra os adversários e outros Pokémon IA espalhados pelo mapa, para coletar esferas de energia e depois encestar essas esferas nas bases inimigas. Ao mesmo tempo, cada time deve defender suas próprias bases para evitar que os adversários depositem suas esferas e pontuem.

Como um bom MOBA, os personagens ganham experiência, sobem de nível e ficam mais fortes à medida em que eliminam os adversários e as IA’s. E aqui temos os princípios do farming e do feeding, velhos conhecidos de quem já é mais íntimo do Lolzinho. Por isso, uma das principais estratégias para vencer as partidas de Pokémon Unite é matar bastante e morrer pouco.

Em todas as partidas, os Pokémon iniciam em sua forma inicial não evoluída e vão evoluindo conforme ganham experiência e sobem de nível. Se no LOL é preciso aprender a avaliar o level dos oponentes para entender se é seguro iniciar uma briga, em Pokémon Unite esse princípio está muito mais intuitivo. 

Todo mundo sabe que a forma mais evoluída de um Pokémon é muito mais forte do que sua forma inicial. Sendo assim, é lógico que desafiar um Charizard para lutar contra o seu Charmander é suicídio na certa, e por isso, você deve fazer seu Charmander adquirir experiência para que ele também se transforme em um Charizard e possa lutar de igual para igual contra o adversário.

Cada Pokémon inicia a partida com duas skills, que no Switch são acionadas pelos botões R e ZR. Essas skills vão mudando e ficando mais fortes conforme o personagem sobe de níveis, e o jogador sempre tem dois caminhos para optar durante esses upgrades das skills. Geralmente, para adotar uma postura de jogo mais ofensiva ou mais defensiva. O player faz essas escolhas apertando os botões  ◄ ou ► do Joy-Con esquerdo, quando aparece a animação de upgrade das skills.

Além das skills, cada Pokémon também possui uma ultimate que é desbloqueada ao atingir o nível 9. As animações da maioria das ultimates são lindas e elas infligem bastante dano, cura ou controle de grupo – dependendo do Pokémon escolhido.

Por fim, antes de iniciar uma partida, os jogadores ainda podem equipar seus Pokémon com Held Items e Battle Items. Os Held Items (carregados pelo Pokémon) proporcionam aprimoramentos passivos que duram a partida inteira. Você pode equipar até três desses itens em cada Pokémon. Já os Battle Items (ativados em batalha) proporcionam benefícios momentâneos quando ativados, os efeitos duram apenas alguns segundos e podem ser reativados após um período de countdown. Você pode equipar apenas um Battle Item em cada Pokémon.

A arena da ilha de Aeos, onde Pokémon UNITE está ambientado, é dividida em 3 lanes: superior, inferior e central. A ideia é que os jogadores se dividam em: dois na lane superior, dois na inferior, e um na lane central. O jogador da lane central faz o papel do que no LOL chamamos de jungler, farmando as IA’s da selva e dando suporte às outras lanes. Algumas dessas IA’s conferem buffs aos Pokémon que os derrotarem, assim como o “Blue” e o “Red” do LOL.

No centro da selva, há um Zapdos, o pássaro lendário que surge somente nos dois minutos finais da partida (dos modos Standard ou Ranked, de 10 minutos). O time que derrotar o Zapdos ganha uma grande quantidade de esferas de energia e uma vantagem de tempo para pontuar nas bases inimigas.

Assim como em outros MOBAs, cada personagem possui características particulares que os tornam mais ou menos indicados para certas funções no jogo. Geralmente, em MOBAs temos os campeões rangers, melee, tanks, killers, wizards etc; cujos atributos os tornam mais ou menos úteis nas funções de ad carry, support, jungler e por aí vai. Em Pokémon Unite a “comp” de cada time também deve ser bem equilibrada, tanto em atributos de personagens quanto na distribuição de funções de cada jogador pelo mapa. Um time desequilibrado, mal distribuído e desorientado pela arena, certamente acarretará em derrotas desastrosas.

O jogo também conta com um modo Quick, com partidas de 5 minutos e times menores (de 3 ou 4 jogadores para cada lado). Os mapas do modo Quick são diferentes, menores e mudam diariamente. As partidas também são muito divertidas, um pouco mais insanas e “zoeiras”, com objetivos mais simples e diretos.

Pokémon Unite é um MOBA acessível porque reúne a essência dos MOBAs de uma forma mais simples, tornando a jogabilidade mais fácil para crianças ou adultos menos familiarizados com o gênero. Apesar de ser super divertido e trazer os famosos e amados monstrinhos de bolso para o estilo MOBA, o game não tem envergadura suficiente para se equiparar com MOBAs clássicos como DOTA ou League of Legends. Os gamers mais experientes nesse estilo certamente terão bons momentos com Pokémon Unite, mas não a ponto de considerá-lo melhor do que os outros jogos mais robustos.

Mas Pokémon Unite é MUITO MASSA (essa expressão é cringe?), está cativando o público e se tornando uma nova febre. Vários criadores de conteúdos estão streamando e o YouTube está cada vez mais recheado de gameplays do novo game! 

A seguir você confere o BRKsEDU fazendo o primeiro acesso ao jogo, criando nickname, avatar, aprendendo noções básicas no tutorial e jogando suas primeiras partidas. Solta o play!

More in Fatos&Fatos.com