conversamos com a criadora e advogada criminalista

Epa! Constituição, sensatez e oratória perfeita?? Aí é com ela!! Batemos um papo super bacana com Fayda Belo, a advogada que tem conquistado as redes compartilhando sua experiência com a Constituição e combatendo desigualdades.

Fayda Belo, é uma advogada criminalista especialista em feminicídios e crimes de gênero, que já acumula mais de 500 mil “crimelovers”, como são conhecidos seus seguidores, em seu perfil TikTok. A capixaba, de 39 anos, começou a produzir conteúdo na tentativa de aproximar o Direito das pessoas. Ela nos contou que sua ideia inicial era dar ao público em geral a chance de conhecer os seus direitos.

A criadora viralizou com um vídeo em que costura o post de uma jovem que diz que sua mãe a tiraria do testamento por ser lésbica. A publicação já possui mais de 2,6 milhões de visualizações e fez com que seu bordão “Não vai não!” viralizasse. Fayda confessa ainda estar perplexa com o sucesso de seu perfil, mas acredita que isso tenha acontecido por conta do tipo de linguagem que usa.

“Eu não tinha ideia que meus vídeos iam ter o alcance que tiveram. Eu ainda estou meio perplexa, mas creio que é porque eu tento passar uma linguagem simples, uma linguagem acessível em que alguém com um mestrado consiga compreender, mas que alguém apenas com o primário também entenda. Acho que essa foi a grande sacada!”

A advogada nos contou que o TikTok é o carro-chefe dela, pois todo o conteúdo postado é bem aceito pelos “crimelovers”. Em segundo lugar vem o Twitter, já que muitos de seus seguidores repostam seus vídeos por lá, e seu Instagram começou a crescer agora. Ela fica surpresa com o feedback super positivo em seus posts e diz receber pouco hate, a maioria dos comentários são de apoio, aplausos e agradecimentos. 

“Estou muito alegre pois os vídeos estão realmente ajudando as pessoas de alguma maneira, e isso é gratificante demais.”

A responsabilidade de falar sobre leis é gigante e Fayda nos contou que assiste seus vídeos cerca de 10 vezes antes de postar, pois está lidando com os direitos alheios. Apesar de ser muito trabalhoso passar horas gravando e pensando em conteúdos, é algo que ela realmente gostou de fazer e, para nossa sorte, pretende continuar. “Você ser o instrumento para dar a alguém a chance de conhecer os seus direitos, não tem preço que pague”.

A Annalise Keating brasileira, apelido carinhoso dado a ela pelos seguidores, nos disse achar muito bacana a enxurrada de mensagens que recebe diariamente contando que seus vídeos ajudaram pessoas de alguma maneira. A criadora conta que recebeu comentários de mulheres que estavam em relacionamentos abusivos e não tinham percebido, e pessoas que foram vítimas de racismo mas desconheciam que certos atos eram assim classificados.

Criar conteúdo de forma incrível e democratizar conhecimento? PODE SIM! Todo sucesso do mundo a nossa Viola Davis! Queremos aprender muito ainda com você! 😉

More in Fatos&Fatos.com