Conheça três mulheres fortes para seguir nas redes sociais

Sabe quando você entra na internet e só vê look bapho, pessoas que acordam cedo pra se exercitar, uma casa decorada no estilo Pinterest, e uma grande placa neon sobre o quão boss as pessoas são? A vida hoje tem que ser instagramável, e a gente precisa falar mais (e mais e mais e mais) sobre essa bizarrice. 

As redes sociais trouxeram uma liberdade tão grande que às vezes se torna prisão. Mas até que ponto a gente deve seguir o algoritmo e acreditar que a vida perfeita existe? Não conseguimos dar conta de fazer com que todas as festas entre amigos e família pareçam perfeitas, ninguém é de ferro (e muito menos de pixels). Basta observar a quantidade de jovens com ansiedade e depressão em razão das redes sociais.

Estudo realizado pelo portal Squid sobre a saúde mental de influenciadores

Mas ainda bem que o assunto não é novo, e já está em pauta há algum tempo. Assim, aos poucos, vemos perfis e influenciadores tentando desmistificar essa visão. Pra dar um passo de cada vez, que tal descobrir alguns perfis de mulheres fortes que mostram que a felicidade não é um estado pleno, e que a beleza está no caminho?

É vida real que você quer, @?

Recentemente a Gabi adotou duas crianças (uma delas com espectro de autismo), e desde então, vem contando diariamente os desafios da adoção, com muita sinceridade e abrindo o coração com os seguidores. Falando sobre as delícias e os MUITOS DESAFIOS de se tornar mãe adotiva, ela já recebeu até alguns comentários criticando tamanha sinceridade, mas segue firme no propósito de mostrar a realidade como ela é: linda, mas cheia de obstáculos.

A Nathaly sempre foi vida real em cima de vida real, mas desde que terminou seu casamento, vem se mostrando vulnerável, e contando para o público sobre seu processo de recuperação. Recentemente, inclusive, ela postou um vídeo no qual conta como está sendo difícil a aceitação do fim do relacionamento, abrindo seu coração sobre os desafios de aceitar ver o outro seguindo em frente, e gerando identificação com muitos seguidores que passam pelo mesmo.

E falando em vida real, corpos reais e aceitação, não poderíamos deixar a Polly Oliveira de lado. Com muita força, ela conta sobre seus traumas e fala a respeito do antigo relacionamento abusivo, alertando (e ajudando) muitas mulheres que passam por situações semelhantes. Além disso, mostra a importância da autoaceitação, de ver a beleza em diferentes corpos, e do autocuidado.

Fala sério, é lindo que tanta gente esteja falando sobre o assunto, mas ainda estamos bem longe da linha de chegada. Saúde mental não é um assunto só de setembro: é um assunto para o ano inteiro, e seguir perfis reais é apenas o primeiro passo. Vamos nos ajudar?

More in Fatos&Fatos.com