Conheça 6 tipos diferentes de carros de corrida

Na prática, qualquer carro pode ser um carro de corrida se você acelerar bastante… A questão é que existem modelos especialmente desenvolvidos para competições — capazes de acelerar e fazer curvas muito mais rápido em um circuito.

Para isso, os projetistas pensam em motores mais potentes, aerodinâmica, redução de peso, chassi mais resistente às curvas… Cada detalhe importa para ganhar segundos preciosos nas provas e ultrapassar seus concorrentes. Nesse processo, as corridas ajudam a desenvolver as novas tecnologias que, com o tempo, acabam melhorando os carros de rua, do dia a dia.

Dito isso, os carros de corrida podem ter várias formatos — para correr em pistas, para atender a regras específicas da categoria ou até para derrapar. Pensando nisso, preparamos esse texto para falar sobre esses diversos tipos de carros de corrida. 

1. Monopostos

Os monopostos tem só um lugar e carroceria aerodinâmica (Fonte: Shutterstock)Os monopostos tem só um lugar e carroceria aerodinâmica (Fonte: Shutterstock)

Esse, talvez, seja o tipo mais conhecido (e que menos se parece com um carro comum). Como o nome sugere, os monopostos têm espaço para apenas uma pessoa — o piloto. Os carros não têm teto e, além disso, as rodas e suspensão ficam totalmente expostas para fora da lataria, que é extremamente leve. As enormes peças aerodinâmicas fazem o carro ir o mais rápido possível sem sair voando do asfalto e fazendo as curvas com precisão.  

Há várias categorias de monopostos com especificações técnicas diferentes — as fórmulas. A mais conhecida é, justamente, a Fórmula 1, com seus carros de até 1.000 cavalos de potência e velocidade máxima perto dos 350 km/h. Além dela, há outras — como a Fórmula Indy, nos EUA, a Fórmula E, Fórmula 2, 3… E por aí vai. 

Leia também: Ayrton Senna foi o mais rápido da Fórmula 1, segundo IA da Amazon

2. Carros de Turismo

Carros como Honda e BMW são modificados para participar de corridas de turismo (Imagem: Wikimedia Commons)Carros como Honda e BMW são modificados para participar de corridas de turismo (Imagem: Wikimedia Commons)

Conhecidos pelo termo em inglês — touring car — são versões extremamente modificadas de carros que podemos ver nas ruas. As grandes fabricantes, de Volkswagen a Mercedes-Benz, costumam participar desses campeonatos com seus modelos de produção. 

É claro que, para ter mais desempenho na pista, os carros de turismo tem uma suspensão diferente, reforços no chassi, preparação no motor… Mas, lá no fundo, é o mesmo carro que clientes podem comprar na concessionária. Bem diferente dos monopostos ou da próxima categoria que vamos apresentar. 

3. Stock car

Cruze e Corolla competem na Stock Car Brasil — mas só a Cruze e Corolla competem na Stock Car Brasil — mas só a “casca” deles… (Imagem: Band/Reprodução)

Esse termo, em inglês, significa “carro de fábrica”. Então, na teoria, deveria ser uma categoria de automóveis comuns de produção, né? Mas só na teoria mesmo, porque na prática a stock car têm chassi e motores desenvolvidos especificamente para corridas. A questão é que uma
“bolha” com aparência de um carro de produção é colocada em cima do chassi de corrida.

Aqui no Brasil, por exemplo, a categoria “stock car” usa aparência do Chevrolet Cruze e Toyota Corolla (e já teve Opala, Omega e vários outros modelos). Mas, por baixo, há um motorzão V8 com 550 cavalos — quase cinco vezes o modelo de produção. Todos os chassis e motores são padrão, mudando apenas a “bolha” do Cruze ou Corolla. 

Nos Estados Unidos, um dos esportes mais populares é a NASCAR, a “stock car” deles. Lá, os carros também tem um chassi desenvolvido para corridas e apenas a “casca” de carros Toyota, Chevrolet e Ford comuns. 

4. Dragster

Dragsters do tipo Dragsters do tipo “top fuel” são feitos para acelerar (Imagem: Wikimedia Commons)

Os outros três tipos citados aceleram bastante, mas também fazem curvas muito bem — a ideia é fazer um circuito no menor tempo possível. Os dragsters competem em corridas de arrancada, então sua prioridade é acelerar em linha reta. Única e exclusivamente isso.

Alguns modelos dessa categoria são capazes de chegar a 160 km/h (100 mph) em menos de 1 segundo — quase a velocidade máxima de um Onix 1.0 que costumamos ver nas ruas e muito mais rápido até que carros esportivos. O negócio é acelerar o mais rápido possível mesmo. 

Os dragsters top fuel são bem compridos e têm aerofólios enormes para diminuir a resistência do ar e ganhar velocidade. Mas, em outras categorias de arrancada, podemos ver automóveis comuns com modificações para acelerar mais forte — motor, câmbio e pneus, em especial.

5. Carros de rali

Carros de rali tem chassi, suspensão e pneus preparados para qualquer pista (Imagem: Wikimedia Commons)Carros de rali tem chassi, suspensão e pneus preparados para qualquer pista (Imagem: Wikimedia Commons)

As pistas de um autódromo, geralmente, tem um asfalto lisinho — perfeitas para acelerar um carro esportivo… Porém, os ralis exigem que o piloto encare pistas de barro, neve, grama ou ruas de asfalto da pior qualidade. Portanto, os carros precisam estar preparados para tudo!

Geralmente, eles são versões de carros de produção — como o Peugeot 206 da foto acima —, com modificações como suspensão reforçada, barras de proteção e redução de peso. Esses carros também costumam ter bancos para um segundo ocupante: o navegador, que auxilia o piloto a encontrar o caminho correto nos rallies. Além disso, eles costumam ter tração 4×4 para conseguir bom desempenho no barro ou neve. 

6. Carros de drift

Os carros de drift são desenvolvidos para derrapar na pista (Imagem: Wikimedia Commons)Os carros de drift são desenvolvidos para derrapar na pista (Imagem: Wikimedia Commons)

Derrapar é uma das piores coisas que podem acontecer na Fórmula 1 ou Stock Car… Mas é o principal objetivo do drift — estilo de corridas que ficou mais conhecido jogos como Need for Speed Underground e filmes como Velozes & Furiosos

Claro que a derrapagem, nesses casos, é sempre feita intencionalmente e com total controle do piloto. Mas os carros são criados para chegar nesse ponto e fazer os drifts que os fãs tanto curtem assistir.

Embora os carros de drift sejam potentes, essa não é a prioridade. Uma boa suspensão para fazer curvas, rodas viradas para dentro (cambagem negativa), câmbio, embreagem e freio de mão preparados são mais importantes. Além de pneus que permitam derrapar, é claro. Nessa categoria, carros japoneses como os Nissan são os favoritos. 

Pra terminar, é claro que existem outros tipos de corrida (como os carros esportivos, categorias monomarca, protótipos…), mas esses são os principais exemplos para você entender porque os carros de corrida são tão diferentes daqueles que dirigimos nas ruas. 

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.