Como sabemos quando alguém está nos olhando?

Alguma vez você já esteve na rua e subitamente teve aquela sensação de que alguma pessoa ao redor está te observando? Você pode até mesmo não ter visto nada, mas o seu subconsciente já te alertou que os olhos de outra pessoa estão sobre você. O sentimento de estar sendo monitorado é extremamente desconfortável e te deixa um pouco inseguro.

Mas se nós não temos a certeza de que esse segundo elemento está parando nos analisando de cima a baixo, como nosso corpo pode ter tanta certeza de que isso está acontecendo? Na realidade, tudo isso acaba sendo um “sexto sentido” que envolve um complexo sistema biológico nosso. Entenda mais sobre o assunto nos próximos parágrafos!

Detecção do olhar

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Segundo cientistas, esse fenômeno quando notamos estar sendo observados é chamado de “detecção do olhar”. Estudos neurológicos descobriram que as células cerebrais que iniciam essa resposta são muito precisas e funciona logo quando uma pessoa desvia o olhar de nós por apenas alguns graus — sensação estranha que logo desaparece.

Porém, ainda não existe nenhum estudo preciso que tenha identificado essa rede neural complexa no cérebro dos seres humanos. No entanto, nós sabemos que dez regiões cerebrais distintas estão envolvidas com a visão humana e muitas outras ainda podem estar relacionadas.

Essa atividade toda acontece em uma grande área na parte de trás do cérebro, que suporta muitos aspectos importantes da visão. Vale ressaltar, entretanto, que outras áreas, como a amígdala, também registram potenciais ameaças e potencialmente também estão envolvidas com a detecção no olhar.

Distinção de outros animais

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Em comparação com outras criaturas na natureza, os seres humanos possuem olhos com a esclera, ou parte branca ao redor da pupila, muito maiores do que o normal. E o que isso significa? Para nós, possuir uma esclera maior faz parte da maneira como nos “comunicamos com os olhos” e também nos permite identificar quando outro ser humano está mudando a direção da vista mais rapidamente.

Por esse motivo, não precisamos estar olhando diretamente para outra pessoa para conseguirmos ver que esse indivíduo desviou sua atenção para outra direção. A nossa visão periférica também é amplamente capaz de cumprir essa tarefa, apesar de ser bem menos confiável do que a nossa visão comum.

De acordo com um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, nós só podemos detectar com precisão se alguém está ou não olhando para nós dentro de quatro graus do nosso “ponto de fixação central”. Ou seja, nem sempre a nossa impressão é realmente confiável.

Aspectos em análise

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Um fator importante a se destacar, no entanto, é que a posição do olho não é o único recurso que analisamos quando estamos interpretando se alguém está nos encarando. Assim como em diversos aspectos da comunicação humana, existe praticamente uma “dança” com o nosso corpo para mostrarmos nossas intenções.

Sendo assim, o direcionamento da cabeça, a posição do corpo ou até certos gestos podem nos induzir a pensar se as outras pessoas estão nos olhando ou não. Mas e se tivermos em dúvida? Em todo o caso, o nosso cérebro dará espaço para o erro. No fim das contas, ele vai considerar melhor assumir que estávamos sendo observados do que deixar uma dúvida no ar.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.