Como funciona a clonagem de animais domésticos nos EUA e outros países?

Em 1997, o mundo se viu diante de uma imensa e controversa inovação científica: a clonagem de animais. Uma equipe de biólogos liderados por Keith Campbell e Ian Wilmut apresentou ao planeta a ovelha Dolly, o primeiro clone animal bem sucedido da história. Desde então, a clonagem parece ter perdido relevância nos noticiários, dando a entender que esse tema não evolui muito, o que não é verdade.

Em países como os Estados Unidos, a clonagem não só permanece relevante como se tornou um lucrativo mercado que vem atraindo a atenção de pessoas comuns interessadas em clonar seus animais de estimação.

É isso mesmo, embora a clonagem humana ainda seja um enorme tabu, cercada de dilemas éticos e morais, a clonagem de animais já pode ser feita sem grandes barreiras em muitos países, desde que o interessado esteja disposto a desembolsar alguns milhares de dólares.

Empresa estadunidense clona pets

Fonte: ShutterstockFonte: Shutterstock

A Viagen Pets and Equine é uma empresa sediada no Texas e é a única companhia a oferecer o serviço de clonagem de animais domésticos nos Estados Unidos. Em entrevista à BBC, representantes dessa marca afirmaram que já clonaram centenas de animais desde 2015.

Os preços cobrados para efetuar a clonagem variam de acordo com a espécie do pet. Donos de cães precisam desembolsar US$ 50 mil, cerca de R$ 230 mil. Já os donos de gatos podem comemorar, pois o preço para clonar os bichanos é mais barato: US$ 30 mil, aproximadamente R$ 140 mil. Por sua vez, os donos de cavalos precisam amar muito os seus bichinhos de estimação para cloná-los, pois o procedimento nessa espécie não sai por menos de US$ 80 mil, em torno de R$ 370 mil.

Além dos Estados Unidos, a Coreia do Sul e a China também oferecem esse polêmico serviço. Aliás, os sul-coreanos lideram a tecnologia de clonagem de animais domésticos no mundo, pois clonam cães desde 2006. Na China, o primeiro cão clonado nasceu em 2017, já o primeiro gato a passar pelo procedimento nasceu em 2019.

Riscos e oportunidades da clonagem de animais

A mesma clonagem que pode diminuir a saudade que sentimos dos nossos animais de estimação pode ser uma grande aliada na hora de aumentar a população de animais em extinção, como os pandas. Contudo, a falta de variedade genética pode ser um problema.

Chineses pretendem clonar pandas. Fonte: ShutterstockChineses pretendem clonar pandas. Fonte: Shutterstock

Ao mesmo tempo, os donos de animais clonados podem se decepcionar ao ver os clones de seus bichinhos, já que não há garantia de que eles serão idênticos aos falecidos. Os laboratórios conseguem garantir que sejam do mesmo sexo e raça. O comportamento do animal clonado também pode ser completamente diferente do pet original.

Outro ponto que pode se tornar objeto de discussão é a qualidade de vida das fêmeas usadas para gestarem os clones. Elas recebem injeções hormonais que incentivam a gestação, mas nada garante que não tenham problemas e sofram abortos. Todo esse desgaste pelo qual elas passam tem tudo para incomodar os defensores dos direitos dos animais.

No Brasil, um projeto de lei de 2013 discute a clonagem de animais domésticos. Ele ainda está tramitando no Senado.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.