Como a Air Fryer consegue fritar sem óleo quente?

Nos últimos anos, a Air Fryer, ou fritadeira elétrica, se tornou a queridinha dos cozinheiros amadores brasileiros. De acordo com uma pesquisa do Euromonitor de 2020, o Brasil já é o segundo país que mais compra esse eletrodoméstico no mundo — e o sucesso de vendas vem aumentando exponencialmente desde 2016.

Em 2020, no início da pandemia de Covid-19, as vendas da fritadeira cresceram 22% no Brasil. Em partes, esse crescimento foi fruto das medidas restritivas que fecharam bares e restaurantes. Sendo assim, muitas pessoas decidiram fritar suas porções em casa.

A air fryer frita os alimentos com ar quente. Por isso, as empresas que vendem esse produto dizem que ele é um aliado das dietas saudáveis sem abrir mão do sabor. Mas como é possível fritar algo sem óleo?

A importância (e os riscos) da fritura

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

A humanidade tem recorrido à fritura de alimentos há muitos séculos. Um dos registros mais antigos do uso dessa técnica data do século I d.C. Nele, o cozinheiro romano Marco Gávio Apício ensinava a fritar peixes. A receita foi registrada no livro De re coquinaria, elaborado por Marcus Gavius Apicius entre 25 a.C. e 7d.C., e compilava várias receitas romanas. Desde então, a fritura foi se tornando cada vez mais popular.  

Um dia, os médicos começaram a questionar os seus benefícios para a saúde. O uso de óleo quente torna a comida saborosa e crocante, mas também aumenta o número de calorias, o que pode contribuir para o surgimento da obesidade e das doenças relacionadas a ela, por exemplo.

Air fryer: fritando sem óleo quente

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

A fritadeira com ar quente, ou air fryer, foi patenteada em 1989 pelo inventor americano Chad S. Erickson. A tecnologia consiste em aquecer o ar ao fazê-lo girar rapidamente dentro de sua bandeja interna. Ao entrar em contato com a crosta do alimento, o ar consegue dourá-lo, da mesma forma que o óleo quente. Além disso, o ar quente ainda cozinha a comida por dentro.

A ideia atendeu a uma demanda não foi suprida pelos fornos micro-ondas, incapazes de dourar um alimento, além de ser mais rápida do que os fornos convencionais.

“Air fryer causa câncer?”

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Nem todo mundo é fã dessas fritadeiras. Circulam na internet textos que afirmam que usar a air fryer pode causar câncer. O forno de micro-ondas também foi vítima dessa acusação, devido à desconfiança das pessoas com a nova tecnologia.

Segundo os detratores da air fryer, a fritadeira faria com que substâncias cancerígenas surgissem nos alimentos, devido à temperatura superior a 120?°C. Em entrevista à revista da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), a especialista em Nutrição Oncológica, Erika Simone Carvalho, falou sobre o tema.

Uma das substâncias que têm dado medo nas pessoas é a acrilamida. Ela aparece nos alimentos ricos em amido expostos a altas temperaturas. “Estudos em animais mostraram uma ligação entre alimentos cozidos demais, que contêm acrilamida, e o risco de câncer. Entretanto, avaliações em humanos não encontraram nenhuma evidência científica da ligação entre comer alimentos contendo acrilamida e o risco de câncer”, explicou a especialista.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.