fbpx

Casa das Rosas – Origem do prédio histórico da Av. Paulista

Certamente, se você conhece São Paulo, já ouviu falar sobre a Casa das Rosas. O prédio é um casarão do início do século 20 localizado na Avenida Paulista. Atualmente o local é conhecido como Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. Dessa forma, o ponto turístico recebe exposições, workshops, bem como espetáculos, performances e diversos outros eventos culturais e artísticos.

Para contextualizar sua importância histórica, é interessante saber que a Casa das Rosas foi projetada e construída entre 1928 e 1935 pelo escritório do arquiteto paulista Francisco de Paula Ramos de Azevedo (1851-1928). Além disso, ele foi responsável por idealizar inúmeros projetos que ajudaram a definir São Paulo como metrópole, como por exemplo o Mercado e o Theatro Municipal.

Inicialmente, a Casa das Rosas foi projetada para a filha de Francisco, Lúcia Ramos de Azevedo e seu marido, o engenheiro Ernesto Dias de Castro. Nesse sentido, o palacete apresenta uma mistura de estilos com Art Déco, Renascença, bem como elementos neoclássicos e ingleses.

Além disso, o prédio conta com 30 quartos e um jardim suntuoso onde ainda crescem as rosas, sendo um imóvel de grande valor arquitetônico. Por isso, e com intuito de preservação, o casarão foi tombado pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo, em 1985.

História da Casa das Rosas

Fonte: Fotos Públicas

Como lido acima, a Casa das Rosas foi arquitetada por Francisco Ramos de Azevedo nos anos 30. Com efeito, o projeto foi elaborado para ser uma mansão em estilo clássico francês estruturada com trinta cômodos, edícula, jardins, quadras e pomar no centro da capital.

Desse modo, a casa foi finalizada em 1935, quando Ernesto Dias de Castro e sua esposa, mudaram para o novo endereço na Avenida Paulista, 182.  Contudo, Ramos de Azevedo faleceu no ano de 1928 não participando da inauguração da nova residência e tão pouco foi morador do palacete. Todavia, ele foi o responsável por adquirir o terreno ainda no começo do século XX, e passar a escritura para o genro Ernesto Dias de Castro, em 1913.

Apesar de tudo, a casa foi ameaçada de demolição antes de ser tombada pelo Condephaat no dia 22 de outubro de 1985. Aliás, em 2004 a mansão foi restaurada e reinaugurada como Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura, onde se tornou um museu bastante frequentado por moradores e turistas. Ademais, após a reinauguração a casa ficou conhecida como a primeira biblioteca especializada em livros de poesia.

Por fim, o nome Casa das Rosas reflete a plantação de rosas em um dos mais belos jardins de São Paulo, na época.

Roteiro pelas obras de Francisco Ramos de Azevedo

Casa das Rosas – Origem do prédio histórico da Av. Paulista
Fonte: Fotos Públicas

Portal do Cemitério da Consolação
Rua da Consolação, 1660

Secretaria Estadual da Educação
Praça da República, 53

Theatro Municipal
Praça Ramos, s/nº

Sede dos Correios e Telégrafos
Centro Cultural
Avenida São João, s/nº

Palácio da Justiça
Praça da Sé, s/nº

Atual Secretaria da Justiça do Estado
Pátio do Colégio, 148/184

Palácio das Indústrias
Museu Catavento

Mercado Municipal
Rua Cantareira, 306

Pinacoteca do Estado
Praça da Luz, 2

Quartel da Rota
Avenida Tiradentes, 440

Edifício Ramos de Azevedo
Arquivo Histórico da Cidade
Praça Coronel Fernando Prestes, 152

Então, se você curtiu saber mais sobre esse prédio histórico de SP, clique e leia: Conheça os bairros com metro quadrado mais caro de São Paulo

Fontes: Turista Paulistano, Live, Cultura SP, Aventuras na História

Fotos: Fotos Públicas

More in Fatos&Fatos.com