fbpx

Calendário gregoriano – Origem, história e principais curiosidades

O calendário gregoriano é o calendário utilizado pela maior parte do mundo, incluindo o Brasil. Também chamado de calendário cristão ou ocidental, ele é estabelece um padrão internacional para representação de datas.

Regido pelo movimento da Terra ao redor do Sol, o calendário possui 365 dias divididos em 12 meses. Desses, quatro possuem 30 doas, enquanto outros sete possuem 31. Além desses, o mês de fevereiro possui 28 dias, eventualmente possuindo 29, em anos bissextos.

Dessa maneira, cada ano tem um total de 52 ou 53 semanas, com sete dias cada. Segundo o padrão internacional, o começo da semana acontece na segunda-feira.

História do calendário gregoriano

Calendário gregoriano - origem, história e principais curiosidades
Efemérides do Éfemello

O calendário gregoriano foi inventado pelo astrônomo, médico e filósofo Aloysius Lilius. A ideia de alteração do calendário vigente, era poder corrigir alguns erros que do modelo anterior, o calendário juliano.

Uma comissão de criação do novo calendário foi organizada pelo papa Gregório XII, que foi homenageado no nome do novo modelo de datas.

Oficializado em 24 de fevereiro de 1582, ele apresentou as primeiras correções de sincronia com o ano solar. Mais tarde, novas alterações foram incluídas com um novo cálculo para os anos bissextos.

Os primeiros países a aderirem o calendário gregoriano foram Portugal, Espanha, Itália e Polônia. Em locais como Alemanha e Inglaterra, por exemplo, ele só foi adotado depois de 1700. Na Inglaterra, houveram protestos com o povo pedindo os dias perdidos pela alteração de volta.

Parte da resistência ao novo calendário ocorreu principalmente em países protestantes, que acreditavam que mudança servia para frear a nova religião na Europa.

Mudança do calendário juliano

Calendário gregoriano - origem, história e principais curiosidades
The Human Origin Project

Antes da adoção do calendário gregoriano, o calendário juliano era o vigente. Implementado por Júlio César, em 46 a.C., ele fora criado pelo astrônomo grego Sosígenes, da Escola de Alexandria.

No entanto, o calendário trazia alguns problemas, como a imprecisão para se estabelecer o tempo real que a Terra levava para dar uma volta completa ao redor do Sol.

Além disso, a ocorrência de anos bissextos começou a criar desalinhamentos de datas. A Páscoa, por exemplo, ficava cada vez mais distante do Equinócio da Primavera.

Com a atualização das datas, foi possível fazer ajustes para calcular equinócios, solstícios, anos bissextos, e a até então problemática data da Páscoa.

Curiosidades sobre o calendário gregoriano

Calendário gregoriano - origem, história e principais curiosidades
History Extra
  • Enfim, com o ajusto do calendário, dez dias foram excluídos. Como o dia posterior a 4 de outubro de 1582 passou a ser 15 de outubro, o período de 5 a 14 de outubro daquele ano nunca existiu no papel.
  • A Turquia foi o último país a adotar o calendário gregoriano, em 1º de janeiro de 1927.
  • Apesar de se acreditar que os anos bissextos acontecem de quatro em quatro anos, eles não ocorrem caso o ano em questão seja divisível por 100. Oficialmente, a regra diz que, além de não ser divisível pela centena, ele deve ser múltiplo de 4 e 400.
  • Em comparação com o ano solar, o calendário gregoriano possui uma diferença de 26 segundos.
  • Por fim, antes da adoção do novo calendário, o ano novo inglês começava no Dia da Senhora, em 25 de março.

Fontes: Calendarr, Escola Kids, El País, Arte Ref

Imagens: History Extra, Independent, Efemérides do Éfemello, The Human Origin Project

More in Fatos&Fatos.com