Anticoncepcional masculino tem 99% de eficácia em testes com ratos

Muito em breve, os homens poderão participar mais no que diz respeito à contracepção. Pesquisadores anunciaram que estão finalizando os estudos que devem levar à criação de uma pílula anticoncepcional para os homens nos mesmos moldes da que já existe para as mulheres.

A descoberta científica é animadora, já que, diferentemente das mulheres (que têm opções como preservativos, implantes hormonais, DIU, adesivo e a pílula), os homens só têm três alternativas para evitar uma gravidez: o uso da camisinha, a realização de uma vasectomia ou a abstinência. Assim, muito em breve é possível que os homens optem também por este método.

O processo de invenção da pílula masculina

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

A novidade foi apresentada na reunião da American Chemical Society e promete ser um marco importante na expansão das formas de controle de natalidade. Durante o evento, uma equipe de cientistas informou que o contraceptivo oral masculino já foi testado em camundongos e teve 99% de eficácia, sem efeitos colaterais.

O próximo passo agora é testar em humanos, o que deve ocorrer até o fim de 2022. “Os cientistas tentam há décadas desenvolver um anticoncepcional oral masculino eficaz, mas ainda não há pílulas aprovadas no mercado”, disse Abdullah Al Noman, da Universidade de Minesotta, e que é um dos responsáveis pelo estudo.

Vale lembrar que a invenção da pílula feminina data dos anos 60, e acabou significando uma verdadeira revolução na sexualidade humana – uma vez que, a partir daí, homens e mulheres começaram a explorar mais a sexualidade sem o risco de uma gravidez indesejada. 

Como deve funcionar a pílula masculina?

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

Inicialmente, as pesquisas em torno da pílula anticoncepcional masculina giravam em torno do bloqueamento da testosterona, o hormônio sexual masculino. Ocorre que esta abordagem causava muitos efeitos colaterais, como ganho de peso, depressão e aumento de níveis de colesterol, aumentando o risco de doenças cardíacas.

A nova abordagem apresentada na American Chemical Society se foca no uso de um contraceptivo masculino não hormonal chamado YCT529. Os testes já feitos mostraram que ele foi capaz de tornar os camundongos estéreis, sem efeitos colaterais. Depois que pararam de receber a substância, os camundongos recuperaram sua fertilidade em um período que ia de quatro a seis semanas.

A segurança sobre a falta de efeitos colaterais promete ser um motivador para que homens empreguem este novo método. “A principal barreira é encontrar uma pílula eficaz com efeitos colaterais mínimos e o entusiasmo dos homens em tomar essa pílula. Em relacionamentos sérios, isso funcionará bem e os homens provavelmente estarão dispostos a tomar uma pílula. Mas sabemos que o histórico masculino em assumir a responsabilidade pelo controle de natalidade não é exemplar. As mulheres superam muito os homens na quantidade de procedimentos de esterilização cirúrgica, embora uma laqueadura feminina seja muito mais invasiva do que uma vasectomia”, declarou para o portal Healthline o médico Jesse Mills, diretor da Clínica Masculina da Universidade da Califórnia.

More in Fatos&Fatos.com