Afinal de contas, por que os cangurus pulam?

Os cangurus são os únicos grandes mamíferos que se locomovem pulando — característica esta que intriga os cientistas há anos. No entanto, fósseis encontrados em Riversleigh, na Austrália, podem dar algumas pistas sobre a evolução das espécies de cangurus e o motivo pelo qual os saltos se tornaram o seu principal meio de locomoção.

Hábitat teria incentivado os animais a pularem

(Fonte: Freepik)(Fonte: Freepik)

Imagine que o canguru fosse um animal brasileiro, nativo da Mata Atlântica ou floresta Amazônica. Será que ele conseguiria percorrer grandes distâncias saltando? Provavelmente não, pois a mata fechada impediria esse tipo de locomoção. Não por acaso, muitos animais desses habitats se movimentam pulando por entre os galhos das árvores ou rastejando.

A hipótese mais aceita pela comunidade científica para explicar os saltos dos cangurus, até agora, sugeriu que houve uma mudança no clima da Austrália que incentivou a formação de pradarias e desertos, eliminando grandes territórios de mata fechada. Para tirar vantagem desse novo terreno, os cangurus foram evoluindo para saltarem ao invés de andar. Assim, eles conseguem percorrer grandes distâncias em pouco tempo.

No entanto, cientistas do Museu Sueco de História Natural e da Universidade de Uppsala também analisaram os fósseis encontrados e concluíram que eles pertenciam a animais que já eram capazes de saltar — e isso teria acontecido muito antes da formação das pradarias na Austrália.

Os fósseis encontrados pertenciam a uma espécie de marsupial extinto há cerca de 15 milhões de anos. Esses marsupiais não só saltavam, como andavam sobre as quatro patas e subiam nas árvores. Se a teoria de que o salto foi uma evolução devido à formação de pradarias não estiver correta, será necessário criar novas hipóteses para compreender quais são os outros fatores que incentivaram esse comportamento.

Canguru gigante vivia na Austrália há 30 mil anos

(Fonte: BBC/Reprodução)(Fonte: BBC/Reprodução)

Uma segunda pesquisa, dessa vez publicada em 2014 pela revista científica Plos One, sugere que a Austrália já foi habitada por um tipo de canguru gigante.

Os sthenurus teriam até 2 metros (três vezes maiores que os cangurus modernos) e pesariam até 240 quilos — ao contrário dos animais que vivem na Austrália hoje, eles caminhavam sobre as duas patas. O tamanho também fazia com que eles conseguissem catar alimentos das árvores ao invés de pastar, como os atuais cangurus.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.