7 filósofos brasileiros que você precisa conhecer

Embora a Filosofia tenha sido criada na Grécia Antiga, no século VI a.C., ela se desenvolveu no mundo inteiro pela reflexão de pensadores oriundos de diversas culturas e com olhares diferentes. O Brasil também é um campo rico para o pensamento filosófico, e há vários pesquisadores que são destaque e referência, inclusive, para outros países.

Preparamos neste texto uma lista de 7 filósofas e filósofos brasileiros que continuam expandindo as questões nascidas na Grécia, e que você certamente precisa conhecer.

1. Marilena Chauí (1941)

(Fonte: UFT)(Fonte: UFT)

Marilena Chauí é considerada por muitos como o maior nome contemporâneo da filosofia brasileira. Ela é mestre e doutora em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), onde também leciona. 

Chauí é uma grande especialista no filósofo Baruch Espinoza, e também atua na historiografia da filosofia. A professora costuma ser lembrada por sua forte atuação política: ela, inclusive, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT).

2. Bento Prado Júnior (1937-2007)

(Fonte: Divulgação)(Fonte: Divulgação)

Bento Prado Júnior foi doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) e professor titular da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Antes disso, havia sido professor da USP, mas teve sua ocupação cassada, junto a outros colegas, durante o governo militar devido a um decreto presidencial.

É considerado um dos principais personagens na construção da filosofia brasileira. Era um grande especialista no filósofo francês Henri Bergson e na fenomenologia francesa do século XX.

3. Djamila Ribeiro (1980)

(Fonte: Veja)(Fonte: Veja)

Djamila Ribeiro é mestre em Filosofia Política pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e é vista um dos grandes nomes da nova filosofia brasileira, que direciona suas reflexões para questões bastante urgentes, como o racismo e o ativismo digital. Suas pesquisas envolvendo questões de raça e gênero se popularizaram a partir de três obras suas: “O que é lugar de fala?” (2017), “Quem tem medo do feminismo negro?” (2018) e “Pequeno manual antirracista” (2019).

4. Miguel Reale (1910-2006)

(Fonte: Academia Notarial Brasileira)(Fonte: Academia Notarial Brasileira)

Miguel Reale foi um jurista e filósofo brasileiro. Como professor, exerceu toda a sua carreira na USP, onde também assumiu a função de reitor. O professor Reale coordenou e elaborou em 2002 o Código Civil Brasileiro, e é considerado um nome importantíssimo tanto na Filosofia quanto no Direito.

5. Mario Sergio Cortella (1954)

(Fonte: SESC)(Fonte: SESC)

É filósofo e doutor em Educação pela PUC-SP, onde é professor titular. Seus trabalhos na filosofia são voltados principalmente às questões da ética e da educação. Além de professor e palestrante, já foi Secretário Municipal de Educação de São Paulo. Tem mais de 30 livros publicados.

6. Leandro Konder (1936-2014)

(Fonte: Teoria e Debate)(Fonte: Teoria e Debate)

Leandro Konder foi bacharel em Direito e doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Como professor, foi titular no Departamento de Educação da PUC-Rio.

Foi um nome forte na filosofia marxista, e teve anos de atuação nas causas trabalhistas durante a época da ditadura brasileira. Dentre as suas principais obras, estão “Introdução ao fascismo”, “O que é dialética” e “As ideias socialistas no Brasil”.

7. Márcia Tiburi (1970)

(Fonte: Divulgação)(Fonte: Divulgação)

É mestre em Filosofia pela PUCRS e doutora em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É um dos rostos e mentes mais conhecidos na filosofia contemporânea, escrevendo especialmente sobre temas ligados à filosofia do conhecimento, ética e feminismo.

Ela é especialista no pensamento do filósofo alemão Theodor Adorno e na Escola de Frankfurt. Embora ainda atue como professora, Tiburi começou recentemente uma carreira política no Partido dos Trabalhadores (PT).

More in Fatos&Fatos.com