6 razões pelas quais o Planeta dos Macacos poderia realmente acontecer

Uma das franquias mais interessantes da ficção científica é a série de filmes Planeta dos macacos, que imagina uma versão diferente da evolução do planeta Terra. Ao invés de os homens terem evoluído dos macacos e os dominado, teria ocorrido o contrário: os símios teriam dominado e escravizado os homens.

A premissa fascinante surgiu no romance francês chamado La Planète des Singes, escrito em 1963 por Pierre Boulle. Desde então, já foram 9 filmes, além de seriados de TV e histórias em quadrinhos que imaginaram desdobramentos dessa ideia. Mas será que o cenário pintado em Planeta dos Macacos poderia realmente acontecer na vida real? Ou seja, os macacos poderiam um dia nos dominar? A resposta é sim, e vamos te explicar o porquê!

1. Os macacos são realmente muito inteligentes

(Fonte: Gizmodo)(Fonte: Gerald Herbert/AP/PA)

Há séculos os cientistas pesquisam a inteligência dos macacos, mas sempre mantiveram a premissa de que o intelecto humano era mais evoluído que o dos símios. Porém, pesquisas mais recentes levantam a hipótese de que os macacos — em especial, os chimpanzés — têm desempenho melhor que os humanos em algumas áreas.

Experimentos feitos na Universidade de Kyoto, no Japão, mostraram que o símio se saía melhor do que estudantes em algumas provas que envolviam memorização. Os testes foram repetidos com outros chimpanzés e evidenciaram que os animais tinham um desempenho melhor de memória a curto prazo do que os rivais humanos. Eles observaram também que os símios tinham certas habilidades desenvolvidas na área da comunicação não-verbal, que nós normalmente não temos.

2. Os chimpanzés fazem guerra entre si

(Fonte: BBC)(Fonte: Getty Images/BBC)

Na década de 1960, a antropóloga Jane Goodall entrou no Parque Nacional Gombe Stream, na Tanzânia, para observar o comportamento dos chimpanzés. Suas constatações foram surpreendentes: ela notou que os macacos conseguiam fazer ferramentas com galhos e folhas, além de terem o hábito sistemático de caçar primatas menores. Além disso, ela testemunhou uma “guerra” entre os chimpanzés em 1974, que se iniciou quando um grupo de macacos emboscou os rivais e os matou.

O conflito se desdobrou numa guerra (que durou 4 anos!) em que os macacos dominavam territórios e usavam estratégias brutais, como sequestro, assassinato, estupro e agressões sádicas de todo tipo. Frente a tudo isso, Jane Goodall quebrou a ideia recorrente dos chimpanzés como animais pacíficos — na verdade, eles brigam entre si de forma organizada, se assemelhando muito a exércitos humanos.

3. Os chimpanzés podem atacar humanos

(Fonte: Plano Crítico)Planeta dos Macacos, 2001. (Fonte: 20th Century Studios/Reprodução)

Os problemas ambientais estão levando os chimpanzés em Uganda a entrarem em conflitos com os humanos nativos. Por conta da perda do seu habitat natural, os macacos invadem plantações e tentam dominar os “guardiões” do local. E pasme: eles fazem isso de forma organizada e focam especialmente nos mais vulneráveis, ou seja, nas crianças.

Desde 2014, há registros de crianças mortas ou feridas por chimpanzés em Uganda e no Congo. Como o desmatamento da floresta tropical destes países só aumenta, é de se imaginar que os ataques não diminuirão. Ironicamente, é ilegal atirar em um chimpanzé em Uganda.

4. Uma religião dos macacos?

(Fonte: Estado de Minas)(Fonte: Peter Stefen/AFP)

Os macacos acreditam em Deus? Será que nós, os humanos, temos o “monopólio” da espiritualidade? Pesquisadores observaram que os chimpanzés realizam alguns comportamentos típicos de rituais, o que sugere a possibilidade de eles terem uma espécie de religião. E onde há religião, há algum tipo de crença em algum deus ou criador.

Os macacos africanos foram vistos construindo templos de pedra e realizando danças rituais que, segundo os cientistas, não parecem ter outro propósito a não ser para agradar os deuses.

5. Pode existir um planeta só de macacos?

(Fonte: Globo)Planeta dos Macacos: A Origem, 2011. (Fonte: 20th Century Studios/Reprodução)

Há uma preocupação cada vez maior na comunidade científica sobre o aumento da inteligência de todos os animais — o que ocorre, em parte, por ação dos humanos. Uma pesquisa de 2011, publicada na Academy of Medical Sciences, sugeriu a necessidade de normas que regulem pesquisas que buscam humanizar animais. “O receio é que, se você começa a colocar um número muito grande de células humanas em cérebros de primatas, poderia transformar o primata em um ser com capacidades que consideramos distintivas dos seres humanos”, relatou o professor Thomas Baldwin.

Alguns pesquisadores acreditam que, assim como ocorreu com os humanos, o fogo pode ser a chave da evolução dos macacos. “Cozinhar a carne ajuda a processar as proteínas muito mais rapidamente, e essa importante introdução levou a um impressionante crescimento da mente e ao desenvolvimento da linguagem, o que nos tornou a espécie dominante. Se os macacos tivessem o impulso do fogo e começassem a posicionar-se de forma ereta por longos períodos, poderiam se desenvolver e tornar-se a espécie dominante”, opinou o futurologista Ray Hammond.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.