6 fatos bastante nojentos sobre a pele humana

Cada órgão do corpo humano possui uma determinada importância e suas próprias funções. Entretanto, nenhum deles é tão grande quanto a nossa pele, responsável por revestir todas as entranhas e trazer uma camada de proteção a mais para que possamos viver em paz. 

Mas se por um lado ela é extremamente relevante para a nossa existência, a pele humana também possui algumas verdades bem nojentas sobre ela. Por isso, nós separamos uma lista com seis fatos de virar o estômago sobre esse tema. Veja só!

1. Paraíso de fungos

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Não há para onde fugir, o seu corpo está sempre coberto por fungos — e estamos falando de dezenas de tipos diferentes. Porém, se você quer saber, sua cabeça e o seu peito são as partes do corpo mais protegidas. Por outro lado, os seus pés passam por uma situação complicadíssima.

Segundo um estudo feito pelo Instituto Nacional de Pesquisa do Genoma Humano dos Estados Unidos, existem cerca de 40 fungos diferentes habitando o espaço entre os seus dedos do pé, 60 tipos embaixo das suas unhas e 80 tipos nos seus calcanhares. Bizarro!

2. Pele escamada

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Assim como qualquer órgão humano, a pele é uma grande mistura de células vivendo em harmonia para garantir a melhor performance possível. Porém, falhas podem acontecer a qualquer momento. Um grande exemplo disso é uma condição rara chamada de “doença das escamas de peixe”, ou Ictiose. 

Pessoas com esse problema possuem um gene defeituoso que faz a pele descamar mais devagar do que o normal. Isso significa que a proteína queratina se acumula na camada superior da pele, em vez de descamar gradualmente, criando escamas grossas e secas que formam padrões semelhantes a ladrilhos.

3. Livros de pele

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Por mais bizarro que isso possa soar, comprovadamente existem pelo menos 18 exemplares de capas de livros feitas de pele humana. Inclusive, esse método ganhou o nome de “bibliopegia antropodérmica”. O mais curioso disso tudo é que não existe padrão para essa “técnica”.

Esses livros possuem origens bem diversas e, aparentemente, vários indivíduos tiveram a mesma ideia assustadora simultaneamente. Um exemplo famoso é a autobiografia do criminoso de carreira James Allen, que insistiu que, após sua morte, uma cópia fosse encadernada em sua pele e entregue a uma de suas vítimas.

4. Alergias

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Se você é uma pessoa alérgica, saiba que sua pele provavelmente é uma das grandes responsáveis por parte de suas crises. Boa parte da poeira da sua casa é composta por pele morta — entre 40% a 80%. E essa não é uma informação para se surpreender quando descobrimos que estamos constantemente descamando.

Sua pele perde completamente suas células e refaz substituições a cada quatro semanas ou mais. Por isso, estima-se que nossa pele tenha contribuído com aproximadamente um bilhão de toneladas de poeira para nossa atmosfera até agora.

5. Suor incessante

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A sua pele está constantemente trabalhando e, portanto, produzindo bastante sebo e suor. Existem algumas dezenas de milhões de glândulas sudoríparas em todo o seu corpo e, em um dia quente, elas podem liberar mais de 13 litros de suor em 24 horas. Loucura, né?

Boa parte desse suor vem das glândulas écrinas e é feito quase que inteiramente de água. O problema, porém, é que a atividade microbiana da sua pele pode fazer com que esse suor te deixe bem fedorento e com um sentimento desagradável.

6. Ecossistema próprio

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A superfície da nossa pele é repleta de micróbios. Mais de 1 mil espécies bactérias chamam a nossa pele de lar e milhões dela podem estar presentes no nosso corpo de uma só vez. Por isso, podemos dizer que possuímos um ecossistema próprio — ou simplesmente um microbioma. 

More in Fatos&Fatos.com