5 vezes que você usou o Teorema de Pitágoras e não lembra

Você é do tipo de pessoa que passou os anos do colégio se perguntando quando é que usaria tudo que aprendeu nas aulas de matemática? Recentemente, o youtuber e influenciador digital Felipe Neto afirmou que, com 34 anos de vida, nunca precisou usar o Teorema de Pitágoras e ironizou: “Creio que um dia irei (usar).”

Em sua fala, Felipe também questiona se todos os anos de estudo foram simplesmente à toa. Mas será mesmo que todas as coisas ensinadas a você no colégio não tiveram validade nenhuma senão usar no vestibular? Veja só cinco vezes que você acabou usando o Teorema de Pitágoras na vida e nem percebeu.

1. Viagem de carro

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Imagine o seguinte cenário: dois amigos marcaram de se encontrar em um parque para iniciar uma viagem de carro e um deles irá dar a carona. Porém, para chegar até o local, o motorista pode optar por duas rotas. Em uma delas, ele seguirá para o norte por 3 km e depois virará ao oeste por 4 km. No total, ele teria que percorrer 7 km.

Porém, existe uma segunda opção que vai por uma trilha de terra e corta essas duas ruas anteriores em uma diagonal. Ao olharmos no mapa, podemos notar que um triângulo retângulo foi formado e, ao fazer os cálculos para descobrir a hipotenusa, notaremos que o segundo caminho levará apenas 5 km para ser concluído.

2. Pintar uma parede

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Pintores precisam usar o Teorema de Pitágoras o tempo todo para decidir qual será a altura de uma escada na hora de pintar uma parede. E como isso funciona? Para que a escada não caia no chão, é necessário decidir qual a distância que ela deverá estar afastada da parede.

Nesse cenário, a própria escada servirá como hipotenusa. Portanto, se precisamos pintar uma parede de 3 metros de altura e temos uma escada de 3,6 metros, concluiremos pelos cálculos que ela devera ser apoiada em uma distância de 2 metros da parede, garantindo que ela permaneça sem cair.

3. Determinar o tamanho de um monitor

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Se recebemos uma propaganda de que um monitor tem 16 polegadas de altura e 14 polegadas de comprimento, como saberemos o real tamanho da tela? Para isso, também será necessário fazer alguns cálculos, uma vez que a hipotenusa dessa tela nos dirá as polegadas reais que estamos procurando.

Em um cálculo simples e rápido, poderemos ver que esse monitor possui 21 polegadas e teremos uma noção se esse tamanho é o que buscamos ou não.

4. Construções físicas

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Principalmente para quem trabalha com arquitetura e marcenaria, o Teorema de Pitágoras é usado o tempo todo. Logo, qualquer pessoa que tem uma casa precisou dessa matemática sem saber. Vejamos: na tentativa de construir o telhado inclinado de uma casa, precisaremos encontrar qual será o comprimento diagonal dessa cobertura.

Se sabemos a altura do telhado e o comprimento para cobrir, poderemos usar essas informações para concluir a obra. Com isso, você teria os dados exatos para cortar vigas de tamanho adequado para suportar o telhado ou calcular a área do telhado que você precisaria cobrir com telhas.

5. Comprar uma mala

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Se você estiver procurando por uma mala nova para viajar, mas não sabe exatamente quanto cabe nessa bagagem, uma das formas eficientes de determinar esses cálculos é através do Teorema de Pitágoras. Portanto, se um vendedor te diz que tem uma mala de 67 cm de comprimento e 30 cm de largura, você pode usar esses números a seu favor.

Como isso, você descobrirá que a mala possui cerca de 70 cm de altura e saberá se essas medidas serão boas o suficiente para comportar seus pertences.

More in Fatos&Fatos.com