5 dicas científicas para fazer um gato gostar de você

Se você é do tipo de pessoa que nunca entendeu os gatos muito bem e sempre achou mais fácil fazer amizade com um cachorro, é bem provável que você esteja tentando usar o mesmo peso para duas medidas diferentes. Afinal, eles não são a mesma criatura e manifestam afeto de formas completamente distintas.

Então, se você estiver pensando em ter um gato de estimação ou simplesmente quer se dar melhor com o bichano da sua família, é preciso saber como lidar com os felinos. Veja só cinco dicas cientificamente comprovadas para fazer um gato gostar de você rapidamente!

1. Deixe ele dar o primeiro passo

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Nós estamos acostumados a ser um tanto quanto invasivos quando falamos de animais de estimação e essa não é exatamente uma estratégia interessante para se fazer com um gato. Afinal, eles são animais bem territorialistas e independentes, tendo uma necessidade constante de sentir que estão no poder.

Por tanto, deixe ele tomar a iniciativa sobre vocês dois. As interações entre vocês serão muito mais positivas se for o gato quem iniciá-las. Além disso, se você bancar um pouco de durão, é bem provável que ele se sinta mais desafiado a chamar sua atenção.

2. Contato leve

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Quando estão interagindo entre si, os felinos possuem o hábito de se cumprimentar utilizando a ponta de seus focinhos. Uma estratégia interessante para o seu primeiro contato é reproduzir esse ato utilizando a ponta do seu dedo. Isto quer dizer não tentar logo fazer carinho na barriga dele, mas dar um tempo para que ele se acostume com seu cheiro.

Você verá que, ao estender um dedo ou as costas das mãos, é provável que seu animal de estimação tente se esfregar nessa parte do seu corpo. Esse é um sinal de que a sua saudação foi recebida de bom grado.

3. Caricia nas áreas certas

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Se você quer extrair uma reação positiva do seu gato, é comum entre os felinos preferir ser acariciado na região da testa ou nas bochechas. Normalmente, seu animal manifestará positividade ao ronronar, amassar pãozinho com as patas e piscar lentamente para você.

Por outro lado, a região da cauda costuma ser um verdadeiro não e tentar interagir demais com essa parte do corpo pode gerar algumas reações agressivas. Dito isso, cada gato é diferente e é importante analisar como eles respondem a cada tipo de carinho.

4. Hora da brincadeira

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Muitas pessoas pensam que só porque os gatos, de modo geral, não amam sair pela rua usando uma coleira, isso significa que eles não gostam de interagir com os seres humanos — um dos maiores mitos de todos os tempos. Os bichanos também ficam entediados e precisam da nossa atenção no dia a dia para gastar energia.

Como esses animais são verdadeiros predadores furtivos, eles vão adorar ter por perto um ratinho de borracha ou algum outro tipo de brinquedo que gere movimentação. Isso fará com que eles saiam correndo pela casa como se estivessem caçando uma presa na floresta.

5. Mantenha seu gato em casa

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Se você quer estabelecer um vínculo afetivo com seu gato, é importante deixá-lo dentro de casa na maior parte do dia — com um máximo de uma hora de acesso supervisionado a um pequeno jardim por dia. Estudos mostram que gatos caseiros tendem a estar mais “conectados” com seus donos.

Um grande motivo para isso é porque gatos que ficam em casa costumam gastar mais energia durante o dia, no mesmo horário em que os seus seres humanos também estão sendo ativos. Logo, ambos poderão ter uma noite mais tranquila e relaxada. 

More in Fatos&Fatos.com