425 corpos são encontrados em escavação na Grã-Bretanha

Arqueólogos britânicos encontraram 425 esqueletos humanos durante escavações nas obras de uma ferrovia. Os corpos foram encontrados em Fleet Marston, uma vila medieval abandonada, perto de Aylesbury, no sudeste da Inglaterra.

Os esqueletos pertencem a antigos romanos que viveram na região durante o período em que ela fazia parte do Império Romano (43–110 d.C.).

Corpos foram decapitados

Corpos estavam com as cabeças colocadas entre as pernas. (Fonte: Reprodução Business Insider)Corpos estavam com as cabeças colocadas entre as pernas. (Fonte: Business Insider/Reprodução)

Algo que chamou a atenção dos arqueólogos foi o fato de que cerca de 10% dos corpos haviam sido decapitados e as cabeças foram colocadas entre as pernas dos indivíduos. Isso pode indicar que eles não gozavam de prestígio na época. Uma hipótese levantada é que poderiam ser ladrões ou algum outro tipo de pessoa considerada desprestigiada pelos romanos.

No local, 50 arqueólogos trabalham para identificar resquícios arqueológicos da Grã-Bretanha e, consequentemente, da civilização ocidental.

Objetos também foram encontrados

(Fonte: Reprodução Business Insider)(Fonte: Business Insider/Reprodução)

Além do possível cemitério, os cientistas também encontraram objetos que dão pistas sobre o modo de vida dos antigos romanos que viveram naquela região.

Dados em perfeito estado foram desenterrados, o que indica que havia jogo e uma vida social agitada no local. Provavelmente, aquela região também era um posto comercial relevante, pois 1.200 moedas também foram descobertas durante as escavações. 

Além dos dados e moedas, os arqueólogos encontraram sinos, objetos que seriam usados em cerimônias religiosas.

Artefatos foram encontrados em obra de ferrovia de ultra velocidade

(Fonte: HS2/Divulgação)(Fonte: HS2/Divulgação)

É curioso que uma descoberta arqueológica dessa magnitude tenha sido encontrada durante obras de um audacioso projeto ferroviário que está ocorrendo na Grã-Bretanha. A HS2 é uma linha de transporte ferroviário de alta velocidade que promete se tornar um dos elementos mais importantes do sistema de locomoção britânico.

Contudo, as descobertas arqueológicas não parecem ser um problema para o andamento das obras, pois os arqueólogos fazem parte da equipe do projeto. Desde 2018, mais de 100 sítios arqueológicos foram encontrados durante as obras relacionadas à HS2, sendo essa da qual estamos falando a mais recente.

Vaso romano encontrado em obra de ferrovia. (Fonte: Divulgação HS2)Vaso romano encontrado em obra de ferrovia. (Fonte: Divulgação HS2)

Entre os objetos encontrados estão quadros, moedas e documentos que poderiam compor um verdadeiro tesouro. Depois de encontrados, essas descobertas são informadas à imprensa e estudadas pelos arqueólogos. “Todos os restos humanos descobertos serão tratados com dignidade, cuidado e respeito, e nossas descobertas serão compartilhadas com a comunidade”, disse Helen Wass, arqueóloga contratada pela HS2.

O Império Romano na Grã-Bretanha

No ano de 43 d.C., o Império Romano teria invadido a região que hoje conhecemos como Grã-Bretanha. Naquela época, a Britânia era formada por povoados diversos. Mais tarde, o imperador Cláudio usou o exército romano para determinar que aquela região passaria a ser uma província romana, o que duraria cerca de 70 anos.

More in Fatos&Fatos.com

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2020 powered by fatos&fatos.com.