3 hábitos alimentares medievais que mudaram a História da Culinária

As pessoas podem se chocar ao descobrir o quanto de nossos costumes e hábitos modernos são oriundos da Idade Média, apesar da primitividade dos pensamentos e comportamentos daquele período.

Um desses hábitos é a comida e como seu modo de preparo, tanto entre os ricos quanto os pobres, contribuiu para podermos ter acesso a várias informações que moldaram a culinária moderna, partindo de um tempo em que a maioria das pessoas não tinha acesso a todos os tipos de comidas, principalmente as nutritivas.

O que prevaleceu, porém, de ambos os lados da cadeia social, foi o pouco conhecimento de como preparar algo quando tudo o que se tinha naquela época para cozinhar era uma chaleira.

1. Regando tudo com bastante molho

(Fonte: Medieval Recipes/Reprodução)(Fonte: Medieval Recipes/Reprodução)

O hábito de regar ou cozer os alimentos em molhos surgiu no início do período medieval, quando a comida ainda era servida à base de leite, vinho, manteiga ou algum tipo de suco que surgia no processo de cozimento — popularmente conhecido como “fundinho da panela”.

Essa maneira de fazer molhos surgiu, especificamente, entre os cidadãos de classe baixa, visto que a farinha não podia ser desperdiçada para preparar o molho porque era o alimento mais importante em peso calórico da refeição.

O passar dos anos alcançou o uso de especiarias em molhos e as diferentes maneiras de prepará-lo. O mingau de aveia, hoje consumido como até uma espécie de sobremesa, foi um deles, podendo ser servido em várias espessuras, incluindo o caldo fino mais conhecido por ser o ponto do mingau. Ele era ingerido como molho ou com pães e legumes.

A evolução das panelas e modernização do fogão foram essenciais para que chegássemos ao tipo de molho que conhecemos hoje, já que na época medieval a preparação dele em fogo aberto dificultava o controle de temperatura do molho, resultando em misturas menos complexas e mais grosseiras.

2. Aromatizantes: colocando cheiro e sabor

(Fonte: Historical Cooking Classes/Reprodução)(Fonte: Historical Cooking Classes/Reprodução)

Atualmente, os aromatizantes alimentares podem ser químicos naturais ou artificiais que têm o objetivo de adicionar, suplementar, modificar ou ainda mascarar o sabor original de um alimento — aparecendo como um artigo complexo na culinária medieval.

As variedades de ervas que eram cultivadas por toda a Europa, principalmente para fins medicinais, já eram usadas como aromatizantes para alimentos. Baseadas nos quatro humores, tinham o objetivo de manter os alimentos saudáveis, facilitar a digestão e manter o equilíbrio.

Por outro lado, as especiarias que vinham quase todas da África ou do leste europeu, limitadas aos privilégios dos ricos, serviam para melhorar o sabor dos alimentos, tanto quanto servir como símbolo de status social.

Os pobres costumavam colher frutas verdes e extrair seu suco para gerar aromatizantes mais azedos, bem como o leite de amêndoas com mel desempenhava um papel na suavização do sabor mais forte de algum alimento.

3. Sobremesas: delícias através do tempo

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Considerado por muitos um dos momentos mais saborosos de uma refeição, as sobremesas também surgiram nos idos tempos medievais, quando havia uma necessidade extrema de preservar a saúde através do equilíbrio dos humores.

Os ricos, mais uma vez, foram os responsáveis por criarem esse último prato, já que os pobres não tinham o luxo de fazerem mais duas refeições por dia. Acreditava-se que a sobremesa ajudava a “fechar os órgãos digestivos”, permitindo que a pessoa pudesse trabalhar e fazer suas tarefas normalmente.

A princípio, os pratos começaram com queijos e algumas frutas, depois foram substituídas por conservas e, nos meses de inverno, a neve misturada com elas deu origem a uma forma primitiva de sorvete. Foi só em meados do século XIV que as sobremesas evoluíram para biscoitos e panquecas rudimentares.

Vale ressaltar que o açúcar, raro e caro, só era usado pelos ricos para agradar e surpreender visitas importantes, com cremes adoçados, frutas, nozes cristalizadas, e tortas recheadas com frutas adocicadas.

More in Fatos&Fatos.com